Foto: Divulgação/Procon-RJ

A última sexta-feira (27/11) marcou o dia oficial da Black Friday a nível mundial. No Brasil, e mais precisamente no Rio de Janeiro, o Procon Estadual vistoriou 25 lojas em 6 shoppings localizados nas zonas Norte, Oeste e Sul da capital e na Baixada Fluminense, além de monitorar 10 websites de e-commerce. A ação tinha como objetivo checar as denúncias e verificar se houve maquiagem de preços, descumprimento da oferta e publicidade enganosa durante o ato promocional e orientar os fornecedores sobre o Código de Defesa do Consumidor e normas consumeristas. A operação foi realizada em lojas de eletrodomésticos, vestuários, perfumarias, artigos esportivos, telefonia, móveis e artigos para o lar.



Toda manhã o resumo do Rio de Janeiro

Desde outubro, a equipe de fiscalização e pesquisa vem monitorando os preços dos itens mais buscados durante a Black Friday. Televisores, celulares, fogões, geladeiras e lavadoras estavam no radar dos agentes. Os fiscais constataram irregularidades na oferta de 5 estabelecimentos comerciais: Natura, Tok&Stok, Claro e duas lojas do Ponto Frio. Todas exibiam o valor das parcelas de forma mais visível do que o preço total do produto e do número de parcelas.

A loja física da Natura apresentou indício de maquiagem de preço de um condicionador para cabelos, que, em 13/11, era vendido no valor promocional de R$ 34,50 por R$ 22,90. Hoje, o produto sofreu aumento, custando R$ 25,90, como item de Black Friday. Já no e-commerce, dos 10 sites monitorados, os fiscais constataram o mesmo problema em 4. No site Submarino, o preço ofertado na promoção Black Friday para uma Smart TV 43” e um notebook foi o mesmo da data antecedente à promoção (26/11). Ainda era informado preço anterior maior do que realmente era praticado para o notebook.

Nas Casas Bahia, uma lavadora de roupas participante da oferta estava com o mesmo preço de antes. Já a Fast Shop anunciou em seu site um fogão 5 bocas por R$ 2.299 com preço anterior de R$ 2.743, valor este não praticado desde o começo do acompanhamento pelos fiscais em outubro deste ano. No Shoptime, por sua vez, os fiscais constataram que o valor de uma lavadora de roupas em oferta ao ser colocada no carrinho saltava de R$ 1090 para R$ 1.299,99.

Os sites Magazine Luiza, Americanas, Extra, Ponto Frio, Casa & Video e Samsung não apresentaram irregularidades para os produtos monitorados. Caso o consumidor tenha notado alguma oferta com indício de maquiagem de preços, o Procon-RJ orienta que seja enviada a captura de tela do preço anterior e do praticado na Black Friday para o nosso WhatsApp de denúncias (21 98104-5445). Até o fechamento deste release, já recebemos 455 demandas de consumidores somente neste dia. Em 2019 esse número ficou fechado em 426 demandas durante toda a Black Friday, apesar do aumento significativo de compras na internet.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui