Os melhores blocos do fim de semana

De acordo com organizadores dos blocos, aumentou a burocracia com a necessidade de um “nada a opor” da Polícia Civil, que passou a valer este ano, e se soma aos ofícios da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros.



Siga nossas redes e assine nossa newsletter, de graça

Jornalismo sério, voltado ao Rio de Janeiro. Com sua redação e colunistas, o DIÁRIO DO RIO trabalha para sempre levar o melhor conteúdo para os leitores do site, espectadores dos nossos programas audiovisuais e ouvintes dos nossos podcasts. O jornal 100% carioca faz a diferença.

O “nada opor” é um documento concedido para que os blocos possam desfilar.

Representantes deles e a nova Comissão do Carnaval de Rua, intermediada pelo Ministério Público, ainda debatem o número de exigências.

Na Câmara Municipal, problema também é discutido. Até a próxima semana deverá ser votado o projeto de lei do Marco Civil do Carnaval de Rua, de autoria do vereador Reimont (PT), que visa a criar um comitê para regulamentar a festa, atribuindo à prefeitura obrigações que como a disponibilização de ambulâncias.

“Atualmente, é tudo uma grande gincana. Precisamos unificar tudo isto (o processo de obter autorizações) para destravar o carnaval de rua”, disse Ritta Fernandes, presidente da Sebastiana, ao Jornal O Globo.

Falando em blocos, nossa lista já está no ar.

1 COMENTÁRIO

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui