Nesta segunda-feira o prefeito Cesar Maia, através de seu ex-blog, trouxe a tona um caso que é bem melhor que todas as novelas da Globo e Record juntas. É o caso do imóvel onde hoje está a Help. A personagem principal, uma enfermeira polonesa, mais uma empregada que teria sido adotada e briga pela herança com parentes da enfermeira. E, para dar uma pitada de requinte, um testamento misterioso que entrega o imóvel para a Igreja!

A Help que está sendo desapropriada pelo Governo do Estado para virar o Museu de Imagem do Ação, corre o risco de, se o secretário de Gabinete Civil, Régis Fichtner, manter a cabeça dura, e querer se meter nesta confusão rocambolesca pode acontecer de pagar e não levar…

Bem, leia a novela que saiu ontem e hoje no ex-blog do Cesar Maia.

QUEM TEM MEDO DE “STEFANIA PLASKOWICKA IN NODARI”?

1. Stefania Plaskowicka In Nodari -enfermeira polonesa (já falecida), cujo ultimo endereço registrado foi a Rua Djalma Ulrich 4, era a proprietária de um casarão na Avenida Atlântica no Posto 5, Copacabana. Em seu testamento deixou claramente inscrito, que doava após sua morte sua casa na Avenida Atlântica, para a Mitra -Igreja Católica.

2. Mas havia um condicionante. A Mitra poderia usar a casa, mas esta teria que ser mantida exatamente como era.

3. Passados alguns anos a Boate Help assumiu a casa e se comprometeu a construir um prédio em volta e em cima da casa, mas sem mudar suas características.

4. Os papéis e os fatos estão perdidos, com exceção do endereço da Djalma Ulrich que consta do IPTU -diga-se de passagem, com dividas.

5. Outro dia o Estado em decreto mostrou sua vontade de desapropriar a Help. Mas… desapropriar de quem? A casa está realmente preservada dentro das paredes da Help? A Mitra tem cópia do testamento e do contrato? Cobra aluguel?

6. Se não sobreviveu nenhum documento, trata-se de herança jacente.

7. A Prefeitura do Rio está investigando. O Estado deve se precaver para não pagar a quem não tem direito. A Mitra está analisando seus arquivos. A Santa Casa foi acionada na mesma direção.

8. Uma história do RIO, que deve ser inteiramente pesquisada, antes de qualquer outro passo a ser dado.

 

O CASO STEFANIA -2-!

Recurso de 1976 ao STF sobre pedido de anulação de adoção de Jadwiga Lewandwska Swirki. Fala de parentes poloneses que vieram ao Brasil, tentar ficar com a herança.

Clique abaixo e conheça a decisão adotada pelo STF naquele momento.
http://www.divshare.com/direct/3827206-93f.pdf

 

"STEFANIA PLASKOWIECKA IN NODARI" -3-!

1. No TJ existe um inventário de Stefania, requerido por Jadwiga Lewandwska Swirsi -em 1973. Em 2001 esse inventário foi desarquivado. O número do processo é: 1973.001.300244-7 -TJ/RJ – 16/02/2008 18:42:16 – Primeira instância – Distribuído em 20/02/1973- Comarca da Capital Cartório da 3ª Vara de Órfãos e Sucessões. Requerente JADWIGA LEWANDWSKA SWIRSKI. Inventariado STEFANIA PLASKOWIECKA IN NODARI.

2. Em 1969, a alegação do advogado de Jadwiga Swirsky, que se dizia filha adotiva do comendador italiano Licoln Nodari, era que este seria o dono e ela sucessora da boate Help.

3. A Mitra foi informada semana passada para procurar em seus arquivos a carta-testamento de Stefania.

"STEFANIA PLASKOWICKA IN NODARI" -4-!

1. No entanto -em um processo no STF- no ano de 1966, Stefania Plaskowicka In Nodari – então como viúva do comendador In Nodari, sem filhos ou herdeiros- adotou por meio de escritura Jadwiga Lewandwska Swirski. Três anos depois os sobrinhos do comendador Nodari, os irmãos Capellaro, entraram com ação anulatória da adoção, alegando fraude, pois a viúva Nodari, se encontrava privada de discernimento quando foi induzida a adotar a "serviçal" Jadwiga.

2. Os irmãos Capelaro foram considerados partes ilegítimas para a ação, pois não eram parentes da viúva e sim do comendador. Depois disso, parentes poloneses de Stefania, entraram com ação contra Jadwiga pedindo, também, anulação.

3. O inventário está desarquivado desde 2002, para de resolver essa complexa equação.

 

MAIS "STEFANIA PLASKOWICKA IN NODARI”, CPF 006.018.107-91 -3-!

1. O endereço da Rua Djalma Ulrich n. 4 é o da própria Boate Help/Restaurante Terraço Atlântico, provavelmente para pagar menos IPTU.

2. A Sra. Stefania faleceu há mais de 10 anos. O imóvel continua registrado em seu nome.

3. Antigos conhecidos dizem que ela teria deixado uma filha de nome Krystyna Swirska, que é quem vem se beneficiando de todos os bens deixados por Stefania. Estaria alugando também apartamentos na Rua Gustavo Sampaio no Leme, e salas na Rua do Carmo no Centro de Cidade.

4. O aluguel da Boate Help/Restaurante é de R$ 77.917,50 -ou 57.039,01- descontado o imposto de renda. Krystyna estaria morando no Flamengo hoje. O pagamento mensal do aluguel, em nome da Help, é feito pelo senhor Baltazar.

5. Krystina é uma pessoa "muito desconfiada e apegada a dinheiro", segundo o Sr. Baltazar. Aparenta não gozar de boa saúde.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui