Ônibus do BRT na Estação Jardim Oceânico - Foto Cleomir Tavares/Diário do Rio

O Sindicato dos Rodoviários do Rio de Janeiro decidiu, em assembleia realizada nesta quarta-feira (3/03), que os 100 funcionários do BRT Rio demitidos serão indenizados após o anúncio da demissão em massa. O acordo deve ser oficializado no próximo dia 9.

A expectativa, de acordo com o sindicato, é de que as verbas rescisórias comecem a ser pagas pela empresa no prazo de 3 dias após a homologação. De acordo com José Carlos Sacramento, vice-presidente do sindicato, a rescisão dos contratos dos trabalhadores será paga em 12 parcelas. Além disso, os funcionários demitidos receberão 40% do FGTS, 13° salário, férias proporcionais com 1/3, seguro desemprego, além de 50% da multa do artigo 477 da CLT, que define o prazo de 10 dias para que o funcionário seja pago, caso isso não ocorra é aplicada multa de 1 salário vigente do profissional.

Ainda nesta quarta-feira, o prefeito do Rio, Eduardo Paes, definiu que as concessões dos corredores, TransOlímpica, TransOeste, e TransCarioca, além da TransBrasil (ainda em construção na Avenida Brasil) serão administradas pela Prefeitura, até que seja feita uma nova licitação. “De forma amigável, vamos tirar o contrato de concessão dos três corredores, Transolímpica, Transoeste, e Transcarioca, além da TransBrasil. E a prefeitura pretende licitar novamente. Sairiam esses consórcios existentes. Nós vamos ter que viver um período de transição”, afirmou o prefeito do Rio.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui