Foto: Site Tudo Mania

Para ser discutido o Projeto de Lei 442 de 1991, que legaliza e regulamenta os jogos de azar no Brasil, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), decidiu criar um grupo de trabalho com 10 deputados.

O colegiado, aprovado no último dia 09/09, funcionará por 90 dias, que poderão ser prorrogados por igual período. Os membros são Bacelar (Podemos-BA), o presidente do grupo; Vermelho (PSD-PR); Leur Lomanto Júnior (DEM-BA); Felipe Carreras (PSB-PE), que será o relator; Bibo Nunes (PSL-RS); Newton Cardoso Jr. (MDB-MG); Marx Beltrão (PSD-AL); Herculano Passos (MDB-SP); Otávio Leite (PSDB-RJ); Augusto Coutinho (SD-PE).

Otávio Leite, representante do estado do Rio de Janeiro na discussão, destaca que: “A verdade é que, de há muito, se discute este tema no Congresso, sem qualquer solução. O jogo existe no país, mesmo proibido. Logo, é necessário enfrentar o assunto, buscando uma disciplina e um retorno para a sociedade. Dentro de rigorosos parâmetros. Acho que o eixo principal deve ser o foco turístico, atração de visitantes estrangeiros. Destaco a importância de fortalecer o Turfe, pelo potencial de geração de empregos, nas cidades e no campo”.

De acordo com Arthur Lira, o projeto poderá criar 700 mil empregos e impulsionar R$ 20 bilhões em arrecadações de impostos por ano em todo o país.

Em outubro do ano passado, o DIÁRIO DO RIO publicou sobre a possibilidade de um cassino ser instalado no Rio de Janeiro. Contudo, segundo a reportagem, políticos evangélicos estariam atrapalhando o avanço desta ideia.

6 COMENTÁRIOS

  1. Cassinos: forma utilizada em todo o mundo para lavar o dinheiro do tráfico de drogas, contrabando, propinas para políticos, prostituição inclusive infantil, tráfico de pessoas, crianças, orgãos e outros ilícitos. A última coisa que o Rio precisa é virar uma Las Vegas piorada e bananense.. Chega de decadência, vamos ter o mínimo de dignidade, dinheiro não é tudo, o Rio merece mais do que isto!

    • Desde que pague os impostos e gere emprego, tá valendo, são BILHÕES de reais que deixam de entrar nos cofres públicos, sem mencionar na enxurrada de empregos, no mundo todo é assim. Lavagem e tráfico de drogas, bem, já somos campões mundiais.

  2. Cassinos no Rio!… Isso tiraria (e rapidamente) a Cidade do estado calamitoso em que se encontra, pois geraria empregos e oportunidades de negócios para todos, sem mencionar a atração turística nacional e internacional! Esta é a minha opinião. Quanto aos evangélicos, poderiam criar um projeto para a criação de impostos sobre os dízimos e ofertas, não seria ótimo?… Isso colocaria tudo em pé de igualdade, pois os cassinos voltando ao Rio seriam os jogos de sorte e não de azar. Fica a dica, pois azar mesmo, é o que os cariocas estão tendo, com esse bando de hipócritas em cena! Theo G Fox _ Jornalista.

    • Verdade. Só sou contra cassino na cidade do Rio, aqui tem muita violência e os traficantes de drogas iriam cobrar pedágio, a polícia civil ia cobrar proteção e assim sucessivamente, alimentando a bandidagem. O ideal é fazer como nos EUA, abrir cassino em locais ermos e distantes, ou cidade até 300 mil habitantes, para fomentar o desenvolvimento, melhorar as estradas, abrir ferrovias…

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui