Mureta da Urca - Foto: Giovani Racca

A Lei 6.400/2018, , de autoria dos vereadores Rafael Aloisio Freitas (MDB) e Carlo Caiado (DEM), considera a cerveja artesanal como Patrimônio Cultural de Natureza Imaterial do Município do Rio de Janeiro, tornando histórica essa atividade promissora da cidade. Em um primeiro momento você pode reclamar, achar que é mais uma daquelas ações que não valem nada Câmara dos Vereadores, mas não é bem assim.



A vocação da cidade maravilhosa para a boemia e para o entretenimento incentivou o surgimento de empreendedores que investem nas cervejas artesanais. O mercado cresceu nos últimos anos alcançando cursos, eventos e bares especializados. Hoje, a produção da cerveja artesanal é uma atividade promissora que movimenta a economia gerando empregos e renda.

De acordo com os parlamentares autores da medida, “a preservação da memória histórica proporcionada pela atividade geradora da cerveja artesanal, mesmo que ainda recente, é latente e prosaica para o Carioca, sob o ponto de vista do estilo de vida boêmio. A exploração de novos sabores, a realização de eventos temáticos e as ações de fomento para o setor comprovam que a atividade já está inserida na rotina de nossa cidade”.

 

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui