Rio Bolinha por Cokada O carioca que quiser conhecer mais um pouco de sua cidade no mês de agosto pode aproveitar a agenda do Núcleo de Geografia Humanística da UERJ e curtir os passeios que eles oferecerão gratuitamente. Há passeios no Centro à noite, pela amanhã, no Flamengo e no Catete.

 

O interessante é o nome e o itinerário de alguns passeios. É quase enredo de escola de samba o que torna bem mais gostoso ler os locais que ocorrem os passeios. Para quem quiser ir as inscrições podem ser feitas pelo email: roteirosgeorio@uol.com.br, ou no cel:8871-72-38, ou no site. Em caso de chuva os programas são adiados.

CAMINHANDO ENTRE LUZES NO CENTRO DO RIO À  NOITE

Dia 6 de agosto de 2010 (sexta-feira) – encontro: 19 horas nos degraus da Casa França-Brasil

 

Itinerário: Luminoso Centro Cultural Banco do Brasil – Alfândega/Casa França-Brasil do Rio Joanino –– Igreja Nossa Senhora da Candelária, Fonte de Luz e de Fé – O iluminamento do Centro Cultural dos Correios – Rua Primeiro de Março – O foco de luz distante e permanente do Antigo Senado e da Catedral de Benedito e da Senhora do Rosário – O diálogo do Rio Colonial com a Cidade Maravilhosa – OVarandão do Centro Cultural da Justiça Eleitoral – Rua do Ouvidor, logradouro inicial da iluminação a gás e da energia elétrica no espaço coletivo Carioca, de Machado de Assis e Chiquinha Gonzaga, bem como dos primeiros acordes do Carnaval Carioca, das lutas pelo abolicionismo e a República e das Confeitarias e lojas elegantes – O brilho das estrelas Cármen e Aurora miranda no sobrado da Travessa do Comércio – O iluminamento da antiga Catedral da Sé/Igreja do Carmo – De volta à claridade do Convento dos Carmelitas – Paço Imperial e da Luminar Isabel de Bourbon e Bragança – Os refletores sobre Tiradentes e ALERJ – O brilho e o requinte dos antigos Ministérios da Fazenda, do MEC e a austeridade do Ministério do Trabalho – Luzia dos Santos e Geográficos olhares – A Academia Brasileira de Letras -  As novas Torres da Esplanada do Castelo – O Universo de extrema luminosidade da Cinelândia e seus Majestosos Prédios – A iluminância  do jovem Theatro Municipal e da Biblioteca Nacional, o Boêmio Amarelinho, a Câmara dos Vereadores/Palácio Pedro Ernesto, O Centro Cultural da Justiça Federal, O eterno e resplandescente Cine Odeon – Metrô, uma sentinela luminosa a nos conduzir por lunares e ensolaradas Geografias.

AVENIDA RIO BRANCO – NOS BRAÇOS E NA ALMA DO POVO

 

Dia 7 de agosto de 2010 (sábado) – 15 horas – Avenida Rio Branco 1

 

Um roteiro de ponta a ponta na principal avenida da Olímpica e Maravilhosa Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro

 

O bota-abaixo de Pereira Passos, Rodrigues Alves e Paulo de Frontin; a erradicação e combate às velhas usanças promovidas por Oswaldo Cruz, o “Rato, Rato” no canto do povo no Reinado de Momo, a inauguração da Avenida Rio Branco no momento simbólico de 15 de novembro de 1905; a relevância do Clube de Engenharia na aurora do século vinte; o disciplinamento do uso do solo urbano de então; uma artéria-símbolo da ordem e do progresso republicanos na capital do país; a Praça Mauá, o canteiro no meio da Avenida Central, a mudança da toponímia em 1912 com a morte do diplomata Rio Branco, as diversas temporalidades das edificações deste traçado; as marcas de um passado Colonial, do Reino e do Império em  ruas como Teófilo Otoni (e de Lamartine Babo); uma porta relíquia no prédio do IPHAN; a abertura da Avenida Presidente Vargas, em outra data simbólica (7 de setembro de 1944); as concentrações com vistas às manifestações políticas e procissões religiosas na Candelária; a permanência da Igreja de Nossa Senhora da Boa Morte; o Manhattan Tower; os diálogos de diversos estilos de torres na Avenida; os triunfantes desfiles de celebridades, misses, atletas, políticos e atores; o alargamento de outros logradouros junto à abertura da Avenida Rio Branco; os carnavais de outrora e da atualidade na Avenida desta Sebastianopolis; a permanência e requalificação do Edifício Central com seu infoshopping; o equipamento urbanístico nas calçadas da Avenida; as diversas temporalidades e os suntuosos edifícios junto à Cinelândia e seu precioso/belo conjunto arquitetônico; Metrô, uma sentinela luminosa a nos conduzir por lunares e ensolaradas geografias na Olímpica e Maravilhosa Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro; o simbolismo do Obelisco, a Avenida Beira Mar e sua distância da baía décadas depois; a Rio Branco como centro de financeiro, de gestão, cultural, religioso; político e de toda gente; Rio Branco – uma avenida na alma do povo.

(RE)CONHECENDO E DESCORTINANDO OS SÍMBOLOS DA RUA DO MERCADO, PRAÇA XV E ARREDORES

 

Dia 14 de agosto de 2010 – sábado – encontro 15 horas. Encontro junto à Igreja do Carmo (antiga Sé) Praça XV/ rua 1º de Março

 

Igreja de Nossa Senhora do Carmo, antiga Catedral, de reais e imperiais batismos, casamentos e sagrações (visita), Convento do Carmo de D. Maria I, a Louca; Palácio Tiradentes (Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro – ALERJ) – rua D. Manuel e os prédios do Museu Naval e da Procuradoria geral do Estado do Rio de Janeiro, Paço Imperial e de Isabel de Orleans e Bragança; A beleza da Estação das Barcas; Chafariz do Mestre Valentim;  Praça XV da chegada da família real, do cortejo fúnebre, e das comemorações da Abolição da Escravidão; Arco do Telles do antigo Senado da Câmara; Travessa do Comércio/ sobrado de Aurora e Cármen Miranda; Rua do Ouvidor, logradouro inicial da iluminação a gás e da energia elétrica no espaço coletivo Carioca, de Ma chado de Assis e Chiquinha Gonzaga, bem como dos primeiros acordes do Carnaval Carioca, das lutas pelo abolicionismo e a República e das Confeitarias e lojas elegantes; Rua dos Mercadores; Rua do Rosário;  Rua do Mercado;  Beco da Cultura.

 

(RE)CONHECENDO O CENTRO DO RIO A PÉ

 

Dia 22 de agosto de 2010 – domingo – encontro às 9 horas e 55 minutos no alto do pátio do Mosteiro de São Bento – Rua Dom Gerardo, 40 ou 42 (junto à Praça Mauá)

Itinerário: Mosteiro de São Bento (assiste-se a cinco minutos da missa com cantos gregorianos), Vista Panorâmica da Praça Mauá, Área Portuária e Baía de Guanabara, Av. Rio Branco, Largo de Santa Rita/Largo da Sardinha, Rua Teófilo Otoni (e de Lamartine Babo), Av, Presidente Vargas, Igreja Nossa Senhora da Candelária (visita), Centro Cultural Banco do Brasil (intervalo de 15 minutos), Centro Histórico Beira-Mar, Rua Buenos Aires, Beco das Cancelas, Rua do Ouvidor, Travessa do Comércio/ sobrado de Aurora e Cármen Miranda, Praça XV, Paço Imperial e de Isabel de Orleans e Bragança (somente maquete do Centro do Rio e janela da anunciação da assinatura da Lei Áurea), Palácio Tiradentes, Rua São José, Largo do Carioca (o diálogo do Rio Colonial com a Cidade Maravilhosa)

 

LUZES PRETÉRITAS E HODIERNAS DA SEBASTIANÓPOLIS NO FLAMENGO E NO CATETE

Encontro: 24 de agosto de 2010 – terça-feira – 19 horas no Castelinho – Flamengo Roteiro: Castelinho, na Praia do Flamengo – rua Dois de Dezembro – Galeria do Cinema São Luis – Largo do Machado – Rua do Catete – Museu da República .

 

ROTEIRO NOTURNO NO CENTRO DO RIO A PÉ

Dia 26 de agosto de 2010 – às 19 horas no adro da Catedral Presbiteriana (Praça Tiradentes com Rua da Carioca)

 

Roteiro: Iluminados prédios da Catedral Evangélica do Rio de Janeiro e Real Gabinete Português de Leitura  – Centro Cultural Carioca – Igreja Nossa Senhora da Lampadosa e da última missa do “maldito” Tiradnetes – Av. Passos – Território da “Daspu” – Praça Tiradentes dos teatros seculares e dos modernos hotéis – Rua da Constituição – Gomes Freire dos hotéis de alta rotatividade – Lavradio dos antiquários e casas de shows de iluminação mutante – Quarteirão Cultural e do RioScenarium – Esplanada de Santo Antonio – Largo Braguinha – Mem de Sá dos sobrados exuberantes,  samba de raiz, marchinhas, mambo, funk, rock, travestis  e mitológica malandragem – Seculares e simbólicos Arcos da Lapa – Rua Joaquim Silva – Escadaria Selaron – Igreja Nossa Senhora do Carmo da Lapa do Desterro – Sala Cecília Meireles.

 

Foto: Rio Bolinha por Cokada

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui