Imagem meramente ilustrativa - Foto: Reprodução

Até a próxima quarta-feira (30/06), acontece em todo o país a Campanha Nacional de Coleta de DNA de Familiares de Pessoas Desaparecidas, lançada oficialmente em 25/05 e que tem como objetivo abastecer o Banco Nacional de Perfis Genéticos (BNPG) através de exames biológicos, auxiliando, assim, na identificação de quem está sumido. A iniciativa, vale ressaltar, foi elaborada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP).

No Rio de Janeiro, especificamente falando, a campanha, apoiada pelo Disque Denúncia e pelo Departamento de Polícia Técnico-Científica, vinculado à Polícia Civil, contabilizou, entre 14 e 18 de junho, um total de 389 famílias que compareceram aos pontos de coleta para doação do material genético, sendo, assim, o estado com maior número de colaborações até então.

”Agradecemos a todos que compareceram, compartilharam, a todos os profissionais envolvidos e ao Disque Denúncia, que nos atendeu prontamente. A divulgação em massa foi fundamental para o sucesso. Esta campanha foi um grande exemplo, que deixou evidente a diferença que o comprometimento, o empenho, a solidariedade e a importância do trabalho em equipe podem fazer”, diz Denise Rivera, assessora técnica-especial da Secretaria de Polícia do Estado do RJ.

De acordo com o Ministério da Justiça, todo o material recolhido será utilizado com a finalidade exclusiva de identificação de pessoas desaparecidas. Ainda segundo a pasta, o programa ”Desaparecidos”, do Disque Denúncia, é uma das ações mais efetivas no RJ quando o assunto é localização de pessoas.

A iniciativa confecciona cartazes com fotos das pessoas desaparecidas, com o telefone de contato do Disque Denúncia e, com a autorização das famílias, faz a divulgação nas redes sociais para facilitar a localização. Mais de 180 pessoas foram encontradas com ajuda do serviço. O MJSP informa também que aproximadamente 80 mil pessoas desaparecem no Brasil todos os anos.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui