Uma parceria entre o Ministério da Saúde e o Ministério da Educação incentiva a vacinação contra HPV e meningite C de adolescentes nas escolas em todo o país. A iniciativa busca aumentar a adesão às vacinas. Segundo o Ministério da Saúde, 52% dos municípios brasileiros estão com cobertura vacinal de HPV muito baixa.

HPV

A vacina de HPV está disponível no SUS para meninas de 9 a 14 anos e para meninos de 12 a 13 anos. Este é o primeiro ano em que meninos passam a fazer parte do público-alvo da vacina. Estudos feitos em outros países que já adotaram a vacinação de meninos mostram que a inclusão dos meninos contribui para a diminuição do câncer de colo do útero e vulva das mulheres, já que isso possibilita a diminuição da circulação do vírus na população, o que beneficia o público feminino.

O HPV é um vírus que pode causar câncer do colo do útero e verrugas genitais. Ele é altamente contagioso, e a sua transmissão acontece principalmente pelo contato sexual. A vacina distribuída no SUS é quadrivalente, ou seja, protege contra quatro tipos de HPV: o 6, o 11, o 16 e o 18. Dois deles (o 6 e o 11), estão relacionados com o aparecimento de 90% das verrugas genitais. Os outros dois (o 16 e o 18) estão relacionados com 70% dos casos de câncer do colo do útero.

Meningite C

Já a vacina contra meningite C era oferecida, até o ano passado, em duas doses aos 3 e 5 meses de idade, com um reforço aplicado até 2 anos de idade. A partir deste ano, o Ministério da Saúde incluiu um reforço da vacina para adolescentes de 12 a 13 anos.

A inclusão dos adolescentes no público-alvo da vacina contra meningite C ocorreu, segundo o Ministério da Saúde, porque pode haver uma diminuição da proteção contra a doença com o passar dos anos, após a imunização feita na infância.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui