Foto: Lucas Landau/Reuters

A primeira fase da campanha #VacinaMaré vem superando amplamente as expectativas: até o dia 03/08, foram vacinados aproximadamente 36 mil moradores da Maré com pelo menos uma dose do imunizante AstraZeneca. O número atingido supera a meta inicial de 31 mil pessoas vacinadas e ainda deve aumentar até o final desta quarta-feira (04/08), data de finalização de parte do projeto.

O projeto de vacinação em massa na Maré faz parte de uma pesquisa da Fiocruz, que oferecerá dados para mapear a dinâmica de circulação do vírus no município e no país. De acordo com a presidente da Fiocruz,Nísia Trindade, a campanha mostra a união de esforços da academia com os movimentos socias.

“Essa mobilização na Maré é exemplar. Ela demonstra a importância da associação entre a academia, os movimentos sociais e a gestão do Sistema Único de Saúde (SUS), ressaltando que deve existir uma conjunção entre a mobilização da sociedade e as políticas públicas”, afirma a presidente da FioCruz.

Com uma ampla cobertura da população vacinada com pelo menos uma dose da vacina contra a Covid-19, a expectativa é de que casos graves e óbitos pela doença caiam ainda mais na Maré. Desde o início da pandemia, com a implementação do projeto Conexão SaúdeDe Olho na Covid, a taxa de letalidade na Maré caiu 86%.

A segunda fase do projeto  vai acompanhar, a partir de agora e durante seis meses, os efeitos da vacina em 2 mil famílias da localidade, cerca de 8 mil pessoas. A pesquisa também irá monitorar a circulação de variantes da Covid-19 entre os moradores, a ocorrência de casos entre pessoas vacinadas e o nível de proteção de crianças e adolescentes não vacinados.

O estudo está ancorado em dois pilares centrais, a vacinação em massa e a testagem em grande escala da população. Faz parte de um desdobramento de diversas ações de saúde pública e mobilização social que vêm sendo implementadas na Maré desde junho de 2020, com o projeto Conexão Saúde – De Olho na Covid.

O Conexão Saúde, atualmente, é referência no combate à pandemia em territórios de favelas e oferece gratuitamente serviços de testagem, telessaúde e apoio no isolamento domiciliar a pessoas com Covid-19.

Costa do mar, do Rio, Carioca, da Zona Sul à Oeste, litorânea e pisciana. Como peixe nos meandros da cidade, circulante, aspirante à justiça - advogada, engajada, jornalista aspirante. Do tantã das avenidas, dos blocos de carnaval à força de transformação da política acreditando na informação como salvaguarda de um novo tempo: sonhadora ansiosa por fazer-valer!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui