Foto: Foto: Francis Joseph Layber

A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) passa a ter um Centro Multidisciplinar na UFRJ-Macaé. A aprovação da medida é resultado da proposta do Grupo de Trabalho presidido pela professora Kelse Tibau de Albuquerque, em conjunto com o Conselho Deliberativo do campus (Consuni). A mudança significará um grande avanço para o desenvolvimento das atividades da Universidade na região.

Com isso, a UFRJ-Macaé será o sétimo Centro Universitário, colocando-o ao lado do Centro de Ciências Matemáticas e da Natureza (CCMN), Centro de Letras e Artes (CLA), Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH), Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas (CCJE), Centro de Ciências da Saúde (CCS) e Centro de Tecnologia (CT).

A nova estrutura irá proporcionar a descentralização administrativa, com os seis institutos especializados organizados a partir da figura do diretor e de seus respectivos coordenadores das áreas acadêmicas. 

“A chancela do Consuni, ao tornar a UFRJ-Macaé um Centro Universitário, corrobora o esforço para o resgate acadêmico que temos feito. Nossos cursos serão ainda mais desenvolvidos e valorizados”, ressalta o professor Irnak Marcelo Barbosa, diretor-geral do campus UFRJ-Macaé Prof. Aloísio Teixeira.

O Grupo de Trabalho responsável pela proposta de criação do Centro Multidisciplinar UFRJ-Macaé foi constituído em abril de 2020 e teve papel crucial na criação da Proposta de Organização Administrativa e Acadêmica (OAA), em consonância com as câmaras do Consuni, os Conselhos de Coordenação dos Centros e Representações.

“É um marco de inovação administrativa para a UFRJ e para a ciência, inserindo uma visão multidisciplinar. Os Institutos Especializados assumirão, em definitivo, o compromisso com os avanços científicos e acadêmicos da região”, comemora a professora Kelse Tibau de Albuquerque, presidente do Grupo de Trabalho.

O processo de institucionalização da UFRJ em Macaé iniciou-se na década de 1980, quando um grupo de pesquisadores começou a realizar atividades científicas nas lagoas costeiras da região, culminando com a criação do Nupem, primeiro núcleo da Universidade no norte fluminense. Propiciou-se, com isso, a criação do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas, o primeiro curso de graduação da UFRJ fora da sede no Rio de Janeiro, em 2006.

Durante esse processo, o Instituto de Química, a Faculdade de Farmácia, a Escola de Enfermagem Anna Nery, a Faculdade de Medicina, o Instituto de Nutrição e a Politécnica de Engenharia motivaram-se a criar outros cursos de graduação no município, consolidando o Polo Universitário de Macaé. Em 2008, o Consuni aprovou a criação do campus UFRJ-Macaé com suas normas provisórias, incluindo-o na estrutura média da Universidade. Agora, em 2021, é reconhecido como Centro Universitário.

O campus UFRJ-Macaé Prof. Aloísio Teixeira possui 3,3 mil estudantes distribuídos em nove cursos de graduação e quatro cursos de pós-graduação, além de 150 técnicos-administrativos e 350 docentes.

Costa do mar, do Rio, Carioca, da Zona Sul à Oeste, litorânea e pisciana. Como peixe nos meandros da cidade, circulante, aspirante à justiça - advogada, engajada, jornalista aspirante. Do tantã das avenidas, dos blocos de carnaval à força de transformação da política acreditando na informação como salvaguarda de um novo tempo: sonhadora ansiosa por fazer-valer!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui