Canal Like: Chicuarotes: cena após cena, a violência nunca para de crescer

Ver um astro talentoso em cena é um prazer e quando esse ator vai para trás das câmeras e assume a direção a gente costuma ter boas surpresas. O mexicano Gael García Bernal é um dos exemplos. Ele começou aos 11 anos de idade na Televisa e logo se tornou um rosto familiar no seu país.

Mais tarde, quando começou a fazer sucesso em Hollywood, vieram as propostas para estrelar superproduções, mas ele preferiu um caminho independente. Assim, sedimentou a carreira e conquistou o respeito da indústria audiovisual. Em 2007, lançou o filme Déficit, que marca sua estreia como diretor.

Chicuarotes, de 2019, é o segundo longa-metragem de Gael como diretor e é dele que o Canal LIke (530 Claro) vai falar agora. A narrativa acompanha dois adolescentes, Cagalera e Moloteco, que fazem bicos vestidos de palhaço e moram em um bairro pobre na periferia da Cidade do México. Ambos querem sair da situação financeira difícil e conquistar algum status social. Por isso, um dia, Cagalera inventa de sequestrar o filho do açougueiro local para juntar muito dinheiro sumir dali. Só que eles têm que lidar com as consequências dos próprios atos, a falta de perspectiva na região e os parentes abusivos.

O título do filme Chicuarotes faz uma alusão a pimenta ardida plantada na região onde os personagens vivem. Também é uma maneira de se referir aos moradores dali, que precisam ser duros para enfrentar a realidade. Não existe redenção possível no contexto e a história deixa claro desde o começo. É quase um fatalismo que deixa os meninos sem perspectivas de visualizar um futuro diferente da miséria ao redor.

Cagalera e Moloteco são comparados aos axolotes, o anfíbio que só existe nos lagos mexicanos e nunca termina a sua metamorfose. Nossos personagens não têm condições de completar o ciclo de uma jornada heroica e se desenvolverem durante a vida.

A película foi rodada na comunidade de San Gregorio, onde o roteirista Augusto Mendoza cresceu. Quase todo o elenco, inclusive, é formado por não atores do lugar que foram escolhidos em workshops.

Chicuarotes acontece no subúrbio mexicano, mas poderia perfeitamente se passar nas periferias e comunidades das grandes cidades brasileiras. Cena após cena, a violência nunca para de crescer. O filme, exibido pelo Canal Brasil, é a dica de hoje. Se quiser outras recomendações, acesse o perfil do canallikeoficial no Youtube ou sintonize no 530 da Claro.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui