Em 2009, pela primeira vez na história, um congressista negro assumiu o posto de Presidente dos Estados Unidos. A sua famosa campanha do “sim, nós podemos” sequestrou a atenção da mídia mundial.

E, desde o início, foi fácil perceber que ao lado da figura pública que ele representava,existia uma companheira poderosa:a advogada Michelle Obama, que acompanhava o marido em todos os lugares onde podia ir.

Passado esse período, ela escreve sua autobiografia Minha História, que foi um dos grandes fenômenos de venda do mercado editorial em 2019.

Michelle participou de vários eventos na turnê de divulgação do livro e o projeto se desmembrou num longa-metragem documental. Ou seja,uma equipe de cinema acompanhou os bastidores da turnê da ex-primeira-dama em 34 cidades diferentes.

Portanto, o filme é uma espécie de expansão do que ela narrou na biografia e marca a segunda parceria dos Obama com a Netflix.

Através da jornada de Michelle, o doc mostra o poder da união que surge nas comunidades quando as pessoas compartilham as suas histórias de maneira aberta e honesta. Faz também um retrato intimista da ex-primeira-dama num momento de muitas mudanças pessoais e profissionais na família. Depois de oito anos sob os holofotes da presidência dos Estados Unidos, ela fala da sua origem simples, filhada classe trabalhadora.

A família vivia num apartamento apertado no sul de Chicago e foi nesse contexto que aprendeu a dar valor ao seu passado e a história do seu país.

Revisitar o início de tudo é a maneira que Michelle encontrou dese reinventar, porque a vida já nãoé como nos tempos da Casa Branca,mas ela também nunca vai voltar a ser uma anônima na multidão. O título original, Becoming, traduz bem esse sentimento de se tornar uma outra coisa, de se transformar.Pra ilustrar o processo, o longac onta com fotos, vídeos e matérias da imprensa. Além dos depoimentos da mãe, do irmão, da assessora e do segurança.

A produção é da Higher Ground Productions, a empresa do casal Obama que arrematou o Oscar com Indústria Americana. Então nãoa dianta esperar por uma abordagem imparcial, mas o filme abre espaço pra se discutir questões importantes, como a mudança no panorama político americano e a questão racial. É inspirador ver uma mulher negra romper a sbarreiras do preconceito e se tornar uma voz relevante no cenário internacional, sem ficar a sombrado marido.

O documentário “Minha História” vai te encher de inspiração com a experiência das pessoas pra dar os seus próprios passos, não importa onde você queira chegar. A jornada pode esta rcheia de curvas e atalhos, mas o que importa de verdade é você encontrar a sua voz durante a caminhada. É assim que a gente constrói a nossa história e esta é a dica do Canal Like (530 Claro) de hoje.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui