Pezão, Eduardo Paes, Pedro Paulo, Picciani e Sergio Cabral - Foto O Globo

A candidatura de Pedro Paulo Carvalho (PMDB) acabou, ele não tem capacidade nem de continuar como secretário da Casa Civil, além dos vários casos de violência doméstica, ele também foi denunciado por agressão a um fotógrafo durante a campanha de 2014. De acordo com a Veja o secretário fazia campanha para deputado federal no Morro Camarista Méier, em agosto do ano passado, quando agrediu o fotógrafo André Luís Bezerra que gravava um protesto. Leia no O Globo a história.

A verdade é que o amigo do prefeito Eduardo Paes (PMDB) já virou piada em seu partido, de acordo com Lauro Jardim/O Globo correligionários de alto grau já brincam dizendo que o slogan de sua campanha, após tantas denúncias de violência, será “Este é bom de briga”.

Outro péssimo sinal é que Pedro Paulo não será mais padrinho de um casamento entre duas sub-celebridades. Ele tinha sido convidado pelo casal Antônia Fontenelle e Jonathan Costa para ser o padrinho no dia 12 de dezembro. Ele então desistiu e participar da cerimônia para “evitar constrangimentos”. Se não pode nem ser padrinho de um casamento, será que pode ser candidato a prefeito? Claro que não!

Para piorar, de acordo com O Globo, o Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, vai pedir abertura inquérito contra Pedro Paulo. O pedido será apresentado ainda nesta semana ao Supremo Tribunal Federal (STF), já que Pedro Paulo é deputado federal e tem foro privilegiado, e terá como base a Lei Maria da Penha. Os autos das investigações que começaram no Rio foram encaminhados à PGR há duas semanas.

E, fechando com chave de ouro, entidades de defesa dos direitos das mulheres estão convocando para este domingo, 6 de dezembro, às 10h, na Praia de Ipanema, para acompanharem a caminhada do MP Estadual “Pelo fim de todas as formas de violência contra as mulheres”. As mulheres vão protestar contra Pedro Paulo pelas agressões à ex-mulher.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui