O deputado estadual pelo PSDB, Carlos Osório, declarou hoje que não concorrerá nesta eleição e que abandonará a política. Na carta em que fala de sua decisão, diz que completou um ciclo de sua, em que se dedicou a vida pública.

Ele começou a carreira política em 2012,no primeiro governo de Eduardo Paes (DEM), onde foi secretário de Conservação e Serviços Públicos, depois dos Transportes. Ele também foi secretário dos Transportes no governo de Sergio Cabral (MDB/Bangu). Em 2014 deixa o PMDB, muda para o PSDB a convite de Aécio Neves e se elege deputado estadual e em 2016 é candidato a prefeito do Rio, ficando em 5o lugar, atrás de Indio da (PSD).

Leia a carta de despedida de Osóro:

Amigos,

É chegado o momento de oficializar uma decisão difícil que venho amadurecendo já há algum tempo: depois de quase uma década na vida publica, dedicada exclusivamente ao serviço do Rio de Janeiro, decidi não participar do processo eleitoral de outubro próximo.

Tomado por lembranças e emoções, compartilho meus sentimentos com vocês, verdadeiros donos de meu mandato. Agradeço a vocês pelos incentivos, apoios, cobranças e, principalmente, o compartilhamento do sonho por um Rio mais justo, próspero e feliz.

Nos tempos atuais, pode parecer estranho um deputado com mandato, que teve mais de 70 mil votos na sua primeira eleição, e que, quando candidato a prefeito do Rio obteve a confiança de quase 300 mil cariocas, optar por não concorrer à reeleição ou disputar outro posto eletivo. Contudo, essa decisão reflete na essência o que eu sou: um cidadão, que aceitou o desafio de dedicar uma parte de sua vida a serviço da sociedade e que, completado um ciclo de trabalho duro e realizações, com vitórias e derrotas, retoma o seu caminho com o sentimento de dever cumprido e a certeza de que novas gerações estão chegando para seguir na luta pelo bem do Rio e do Brasil.

Esses últimos nove anos foram os mais intensos e maravilhosos de minha vida. Lembro-me como se fosse ontem do início do trabalho na prefeitura e o mundo novo que se abriu para mim. Tive a oportunidade de criar a Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos, que tinha como missão prestar os serviços mais básicos à população: limpeza, iluminação pública, corte de grama, poda de árvores, desentupir bueiros, tapar buracos, colocar pedras portuguesas no lugar, cuidar de praças, monumentos e chafarizes. Foi uma experiência humana e profissional que me marcou para sempre. Sacolejando numa picape a gás da Comlurb, conduzida pelo querido Seu Almir, conheci cada canto do Rio de Janeiro e a sua gente. E tive o privilégio de servi-los.

Com desprendimento, aceitei o desafio de gerir a complexa e problemática área de transportes no município, e depois no estado. Trabalhamos duro, enfrentando imensos desafios. Abracei as minhas responsabilidades com amor e senso de dever, entregando à essa causa todas as horas, dias e noites. Junto com a espetacular equipe que me acompanhou nessa jornada, sempre estivemos presentes nas ruas à disposição da população em qualquer circunstância, nas horas boas e principalmente nas ruins. Tenho orgulho de dizer que trabalhei ao lado dos melhores e mais dedicados servidores públicos do Brasil, que hoje tenho a honra de chamar de amigos.

Na ALERJ, exerci o mandato na mais conturbada das legislaturas. Integrando a bancada de oposição ao Governo do Estado, enfrentamos com coragem o rolo compressor da máquina, com mais derrotas que vitórias, é verdade. Mas sempre estive do lado certo, servindo na última trincheira de defesa dos interesses dos cidadãos. Apresentamos pedido de impeachment do Governador, que permanece engavetado, votei contra a aprovação das contas dessa administração que quebrou o Estado, e também contra todos os aumentos de impostos e encargos que queriam colocar nas costas da sociedade.

Nunca fui deputado do quanto pior melhor. Defendi as medidas que eram indispensáveis para enfrentar a grave situação fiscal do Estado e apoiei a intervenção federal na área de segurança. Aprovei emendas e projetos de Lei em vários setores, e, por outro lado, me dediquei muito a barrar iniciativas legislativas, muitas vezes absurdas, que visavam fazer com que o Estado avançasse contra a liberdade de empreender e o livre arbítrio dos cidadãos. Certamente vocês não devem ter concordado com todas as minhas posições. Posso ter cometido erros, porém, podem estar certos que sempre decidi pela minha consciência, na certeza que estava fazendo o que era melhor para a sociedade e com o entendimento do que era o desejo da maioria dos meus eleitores.

Ao fechar esse ciclo, gostaria que vocês soubessem que lutei com todas as minhas forças para honrar sua confiança e lhes representar com dignidade. Sua generosidade ao me entregar seu voto foi o combustível que me moveu ao longo desses anos. E vai me manter firme e atuante nesses 6 meses até o fim do mandato que vocês me confiaram. Vou também me dedicar a incentivar e apoiar cidadãos que compartilhem nossos valores e ideais nas eleições de outubro.

Isso não é uma despedida. É um até sempre. O amor pelo Rio de Janeiro nos une. Tenho absoluta confiança que vamos reencontrar nosso caminho. Continuarei sendo um cidadão ativo, participando intensamente da vida de nossa cidade e estado, que serão tudo aquilo que sonharmos. Todas as vezes que sentirem que eu posso ajudar, estarei dobrando a esquina pronto para servir.

Com gratidão,

Osorio

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui