Foto: Felipe Fittipaldi

Localizada em uma ampla área de 5.000 m², a conhecida Casa Rosa da Gávea foi finalmente vendida; a compradora foi a empresária Tanit Galdeano, da TAO Empreendimentos Imobiliátios. A residência ficou conhecida pelo seu morador mais ilustre, Celso Rocha Miranda, e vai virar um condomínio residencial de sete casas, o Jardim Pindorama. O badalado projeto é da autoria do premiado arquiteto carioca Sérgio Conde Caldas e do designer Erick Figueira de Mello. O lançamento está previsto para os próximos meses.

A velha mansão da Rua Marquês de São Vicente, 268, serviu de residência para a família Rocha Miranda por muitas décadas. Porém, o bonito casarão pertenceu inicialmente à família de Álvaro Soares Sampaio, então dono da Refinaria Capuava (Recap) e fazendeiro no Vale do Cuiabá. Em 1977, foi finalmente adquirido pelo empresário Celso da Rocha Miranda, dono da extinta companhia de aviação Panair. A propriedade, além do grande terreno, tem 1.000 m² de área construída e é servida por um grande jardim idealizado por Roberto Burle Marx.

Em 2018, chegou-se a cogitar a ida da conhecida Escola Parque para o local, mas a ideia não foi para frente. De acordo com fontes do mercado imobiliário, a casa, construída em 1938, estava à venda por um valor em torno de R$ 40 milhões. A magnífica mansão sediou o Casa Cor de 2016.

É mais uma novidade interessante para o mercado imobiliário da Gávea, que não via grandes movimentações há alguns anos, até a aprovação do empreendimento a ser realizado na antiga fábrica do Laboratório Moura Brasil, abandonado há quase 50 anos, na mesma rua. Neste mesmo local sairá o Parque Sustentável, de que tanto temos falado aqui no Diário.

“Tania atua também na área da saúde. Filha do empresário Antonio Galdeano. Uma das pessoas mais animadas que eu conheci e um tremendo lobista e empresário da época que o Rio de Janeiro era capital do país. Outro dos meus mestres.”, disse um amigo da família.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui