reprodução: Internet

Em uma operação na casa do pagodeiro Belo, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, preso na tarde desta quarta-feira (17/01), agentes da Delegacia de Combate às Drogas (DCOD) apreenderam duas pistolas, munição, dinheiro vivo e um computador. Belo, 2 produtores e um traficante são investigados pela realização de um show clandestino no Ciep 326 – Professor César Pernetta, no Parque União, no Complexo da Maré, Zona Norte do Rio de Janeiro, na última sexta-feira (12/02). As armas encontradas na residência do cantor estão registradas em seu nome, que tem posse de arma.

A operação “É o que eu mereço“, em referência a uma das músicas do cantor, foi em cumprimento de 4 mandados de prisão preventiva e cinco mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça contra os responsáveis por promover a invasão e realização do evento Ciep. Belo, de acordo com a polícia, responde por 4 crimes:  invasão ao prédio público Infração de medida sanitária, crime de epidemia, e organização criminosa.

Para o delegado responsável pelas investigações, Gustavo de Mello de Castro: “Os fatos são graves, falam por si só. Além de gerar uma grande aglomeração de pessoas, houve uma invasão a uma escola pública, que causou dano ao erário público. Além da festa ter sido capitaneada pelo traficante local, o Alvarenga“.

Ainda segundo o delegado, “ao realizar o show, ele promove toda a engrenagem do narcotráfico no interior daquela comunidade. A gente tem relatos de pessoas armadas, de crianças consumindo drogas, então, quando ele aceita realizar o evento no interior da comunidade, dentro de uma escola invadida, com invasão até da sala de aula, ele faz com que aquela facção se fortaleça”.

A produtora Série Gold, organizadora do evento, também recebeu a vista da polícia, que apreendeu equipamentos, aparelhagem de som, documentos e veículos em sua sede. Em toda operação, foram apreendidos R$ 40 mil, e 3.500 euros, o equivalente a 22 mil e 800 reais.

Os quatro mandados de prisão preventiva foram contra: Marcelo Pires Vieira (Belo), preso em Angra dos Reis, na Costa Verde; Célio Caetano, sócio da produtora, preso em Macaé; Henriques Marques, o Rick, também sócio da produtora, preso no Rio; e Jorge Luiz Moura Barbosa, o Alvarenga, chefe do tráfico no Parque União, que está foragido.

A versão da Assessoria

Em nota divulgada na noite desta quarta-feira, a assessoria de comunicação do artista argumentou que ele errou ao gerar aglomeração, mas que outros eventos realizados durante a pandemia não resultaram em prisões. A assessoria destacou que o Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) foi contrário à prisão do cantor.

O cantor Belo, sua família e equipe estão surpresos e consternados com o mandado de prisão preventiva cumprido pela Polícia Civil do Rio de Janeiro nesta quarta-feira, 17, no âmbito da investigação sobre a apresentação do músico em evento no último sábado, 13, no Complexo da Maré, Zona Norte da capital fluminense. O show foi legalmente contratado pela produtora Série Gold, conforme comprovam notas fiscais e outros documentos já entregues às autoridades. O espanto [sobre a prisão] se dá em razão da prisão ter ocorrido mesmo após parecer contrário do Ministério Público (MP) e também da falta de isonomia quando se trata de apresentações artísticas durante a pandemia da Covid-19, pela qual Belo teve a saúde acometida há três meses e a agenda cancelada integralmente há um ano“, afirmou a assessoria de Belo.

A visita de Gracyanne  

Foto: Rede Social

A modelo, musa fitness e esposa de Belo, Gracyanne Barbosa, visitou o marido na Cidade da Polícia, no Jacaré, Zona Norte da cidade, nesta quarta. Abalada, Gracyanne postou em um rede social: “Vivemos um novo normal, certo? Esse novo normal é para alguns ou para todos? Todos nós estamos nos virando para nos adequar às novas normas. Não existe vilão ou mocinho. Seria maravilhoso e ideal se pudéssemos ficar trancados em casa esperando a vacina chegar, que por sinal vai demorar para o brasileiro, né? Mas como pagamos nossas contas? (…) Mas precisamos trabalhar. Todo o Brasil já voltou a trabalhar. Na realidade do nosso país muitos nem puderam parar. Triste. E triste ver alguns destes sendo oprimidos em suas tentativas de continuidade ao trabalho”.

A musa fitness destacou ainda a sorte do seu marido de ter nascido com talento para cantar, o que levou à ativa de forma rápida. “Meu marido foi abençoado com o talento do canto. Ele é contratado para isso. Ele chega pela porta de trás dos locais de shows, vai direto ao camarim e entra no palco. (…) Desde que foi liberada realização de shows, ele tem feito a parte dele. Cumpre as normas, testa sua equipe, Verifica tudo pertinente a ele e à equipe. E assim espera que todas as pessoas também façam”, defendeu a esposa do cantor.

6 COMENTÁRIOS

  1. Falou o delegado de sua bolha…
    Festas em escolas públicas tem Estadual ou Municipal. E não é somente nas comunidades não. Duvido que sejam todas autorizadas. De qualquer forma, as escolas são ligarem de intervenção e devem sem usadas em toda sua plenitude. Não ficarem ociosas. O que tem acontecido senão o contrário(???)

    • A suposta ligação com o tráfico se deu por conta de um tuíte e relato que no evento estariam pessoas armadas.
      O Ministério Público foi contra a prisão – certamente porque medida extrema e necessitava aprofundar investigação. Mas o Juiz acatou a representação da Polícia.
      Casquei… Ao temos Juízes em Berlim.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui