Foto: Reprodução/Internet

A Prefeitura da cidade do Rio de Janeiro divulgou que este ano foram realizadas 9 mil castrações de cães e gatos pela Secretaria Especial de Promoção e Defesa dos Animais (SEPDA). Na divulgação, a gestão Crivella exalta os números e ainda critica as Organizações Globo, dizendo “isso a Globo não mostra”. No entanto, comparando com dados anteriores, o índice de 2019 neste quesito é o mais baixo dos últimos anos.

Segundo dados oficiais, em 2017, já na Prefeitura de Marcelo Crivella, foram 14 mil castrações de animais realizadas. Já em 2018, chegou a pouco mais de 13 mil.

A postagem da Prefeitura

Ainda de acordo com dados oficiais, somente em 2016, pela mesma SEPDA foram 46 mil castrações. Em 2015, 39 mil. Em 2014, foram 36 mil.

Isso, considerando que em 2014 eram apenas 8 postos de castração. Outro problema que que aumentou na gestão Crivella. Atualmente são somente 3 locais para castrar animais.



Siga nossas redes e assine nossa newsletter, de graça

Jornalismo sério, voltado ao Rio de Janeiro. Com sua redação e colunistas, o DIÁRIO DO RIO trabalha para sempre levar o melhor conteúdo para os leitores do site, espectadores dos nossos programas audiovisuais e ouvintes dos nossos podcasts. O jornal 100% carioca faz a diferença.

“Eu recebi esta publicação com espanto e indignação. Recentemente, houve uma audiência Pública na Câmara dos Vereadores onde o subsecretário de Bem Estar Animal da Prefeitura, Roberto de Paula, disse que as castrações esse ano chegariam a 16 mil, mas não passaram de 9. O que é o pior índice do próprio governo, que vem caindo a cada ano. Esse desmantelamento do que era o maior programa de castração de animais do país se deu no governo Crivella. Chegamos ao ponto de ter somente 3 postos operando”, disse o advogado Vinicius Cordeiro, que foi secretário de Proteção e Defesa Animal na gestão do ex-prefeito Eduardo Paes.

Por outro lado, os números da Vigilância Sanitária, que também faz castração de animais, mesmo com menos estrutura que a SEPDA, podem ser considerados positivos.

“Em janeiro de 2017, a Vigilância Sanitária castrava em média 300 animais por mês, número que logo subiu para 400. Com ações diferenciadas, como a contratação de médicos-veterinários e o Mutirão da Castração, desde junho de 2019 o Instituto Municipal de Medicina Veterinária Jorge Vaitsman, na Zona Norte, oferece mais de mil vagas para a castração de cães e gatos. Em agosto desse ano, com a implantação do centro cirúrgico no Centro de Controle de Zoonoses, outras mil vagas passaram a ser disponibilizadas na Zona Oeste, e agora são até 2.500 castrações realizadas por mês”, informa a Vigilância.

A Secretaria Especial de Promoção e Defesa dos Animais (SEPDA) não respondeu os contatos da reportagem do DIÁRIO DO RIO.

2 COMENTÁRIOS

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui