Foto Cleomir Tavares / Diario do Rio

Em um evento de inauguração do Programa Segurança Presente no bairro da Tijuca,Cláudio Castro (PSC) afirmou que a acusação de crime de responsabilidade é uma tentativa de politização do caso. O governador falou ainda, que no dia seguinte a operação, ligou para autoridades federais, como Procurador-geral da República, Augusto Aras, e o ministro do Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin, comunicando que a investigação será transparente e justa.

Na sua conta do Twitter, o governador publicou um vídeo no qual afirma que a segurança pública do estado do Rio tem por objetivo proteger a vida tanto do policial como do inocente. Castro também disse que está fazendo reuniões semanais com toda cúpula da polícia para aperfeiçoar a prestação de serviço à população.

Após defender a regularidade da operação policial mais letal da história do Rio de Janeiro, e uma das mais letais em 10 anos no Estado, ficando atrás apenas da chacina da Baixada Fluminense, Castro, em tom de afrontando, voltou a falar sobre o pedido de impeachment.

“e vou dizer uma coisa, Sr. Marcelo Freixo e sua trupe do Psol pode pedir quantos impeachments for, que a polícia vai continuar fazendo seu trabalho. Porque nós temos uma grande missão hoje aqui, que é libertar o nosso povo. e nos libertaremos nosso povo, inclusive de vocês”, disse o governador.

O pedido foi protocolado na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) na última segunda-feira (10/05) pelo deputado federal David Miranda (Psol). O parlamentar fundamentou o pedido de impeachment no descumprido a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que proíbe ações em favelas durante a pandemia, exceto em casos excepcionais.

De acordo com a fundamentação formulada pelo deputado, o agravamento do caso ocorrido no dia 06/05, se deu em decorrência do período de duração da operação ter se estendido por quase 10 h, com grande número de mortes e demonstração de falta de controle.

Costa do mar, do Rio, Carioca, da Zona Sul à Oeste, litorânea e pisciana. Como peixe nos meandros da cidade, circulante, aspirante à justiça - advogada, engajada, jornalista aspirante. Do tantã das avenidas, dos blocos de carnaval à força de transformação da política acreditando na informação como salvaguarda de um novo tempo: sonhadora ansiosa por fazer-valer!

5 COMENTÁRIOS

  1. É isso, Sem força, sem tanto apoio da sociedade, esses partidos ‘Nanicos’ em fila na porta do Supremo Tribunal Federal(STF), buscando ombros na Alerj. Psol não vai ter Pai no Rio de Janeiro. No mínimo, ficará nos cambaleantes filhotes desnorteados. Governo e Prefeitura, Fora! Psol, Rede, PC do B, e, afluentes.
    Força Castro!

  2. No nível federal, basta alguém se propor a dar um jeito no Brasil, que a corrupção parte para cima com pedido de impeachmeant etc. Já no estadual, quando se trata de banir a a bandidagem que mata sob encomenda os policiais que procuram garantia a segurança da população, me aparece o Freixo e sua cambada de safados, tentando obstruir as ações do governo em prol do bem-estar da população. Estes indivíduos nunca deveriam ter sidos eleitos, mas já que foram, devem ser retirados da política pelo voto popular. Força Governador! O povo está com você.

    • Hahahahah
      Quer dizer que é a Corrupção quem pede o Impeachment, não os denunciantes dela???
      Veja bem. No Nível Federal temos tudo numa só pessoa contra quem pedido Impeachment:
      Um genocida, terrorista – foi expulso do Exército por tramar um atentado; defensor da Ditadura; usurpador da medicina – que não é médico e recomenda a cloroquina; negacionista; chefe da famiglia com pé na milícia que já empregou no gabinete, a dedicou homenagens e tem negócios ocultos…
      E quanto ao agora governador Cláudio Castro já foi citado por Pastor Everaldo e Edmar como tendo indicado empresa de respiradores e também recebido.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui