Castro diz que vai ampliar investimento em infraestrutura para elevar participação do Rio no mercado de petróleo e gás

Governador afirma que o Estado vai dar prosseguimento aos avanços nas áreas de Tributação e Regulamentação

Foto: Divulgação

Em reunião com diretores do Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás (IBP), nesta segunda-feira (19/09), o governador e candidato à reeleição ao Governo do Rio, Cláudio Castro, anunciou que vai incrementar o investimento em obras de infraestrutura para aumentar a participação do Rio de Janeiro no mercado nacional de energia e estimular o crescimento da cadeia produtiva do setor. Cláudio Castro pretende ampliar o PactoRJ, maior programa de infraestrutura do estado, que já conta com R$ 17 bilhões em recursos.

Durante o encontro, o presidente do IBP, Roberto Ardenghy, apresentou ao governador demandas do setor para os próximos anos, como investimentos nas rotas de gás 4b e 5b e mais avanços na questão de Tributação e Regulamentação. Na ocasião, Cláudio Castro destacou as principais intervenções do Governo do Estado no segmento, como a conclusão das obras da Ponte da Integração, no Porto do Açu. Além disso, o governador anunciou melhorias para o Polo GasLub, em Itaboraí. A parceria, oficializada em setembro do ano passado com a Petrobras, permitirá a implantação de um polo industrial atraente.

  • A nossa gestão tem trabalhado para que o Rio de Janeiro se torne um grande polo gerador de energia e referência na transição energética do país, em busca de uma matriz mais diversificada e limpa. Saio muito feliz desta reunião por ter ouvido do setor o reconhecimento da evolução que conseguimos trazer para o Rio de Janeiro nos últimos dois anos, tanto na questão tributária, quanto na questão de regulamentação e do aumento da competitividade do Estado”, disse Cláudio Castro.

Castro ainda ressaltou a importância da indústria do Petróleo e Gás para a empregabilidade no estado e finalizou o encontro com o compromisso de dar continuidade ao diálogo com o setor, em uma próxima gestão.

  • “Esse é um setor que responde hoje por 40% do nosso PIB e conta com uma cadeia produtiva de geração de empregos. Vamos manter uma mesa de diálogo, que ficará constantemente aberta para podermos avançar ainda mais na parte tributária e de regulamentação, não só no setor de Petróleo e Gás, mas também na área de energias renováveis”, finalizou Cláudio Castro.
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui