O Coronel Figueiredo deixa o comando da Polícia Militar, após três anos. Sua gestão é considerada vitoriosa, e criou o programa Bairro Seguro. (Foto: Reprodução / Guilherme Leporace - Fonte: Correio da Manhã)

O governador Cláudio Castro (PL) anunciou, na noite deste domingo (22), a troca do comando da Secretaria de Estado de Polícia Militar. O coronel PM Rogério Figueredo deixa o posto e, em seu lugar, assume o coronel PM Luiz Henrique Marinho Pires. A nomeação do novo secretário será publicada no Diário Oficial desta segunda (23). O atual governador tem sido elogiado por especialistas no que tange à sua política de segurança.

O chefe do executivo estadual enalteceu o trabalho de quase três anos de Figueredo à frente da pasta da segurança. Durante sua gestão, foi responsável pela criação do programa Bairro Seguro, que está em 30 localidades na capital; este programa colaborou muito para a redução dos números de roubos e furtos, que vem caindo em todo o estado.

Agora, o coronel Henrique assume o cargo. Ele tem 32 anos na Polícia Militar, é especialista em planejamento e foi chefe do Estado-maior no período da intervenção militar, em 2018. Ultimamente, atuava como subsecretário de Operações da Secretaria de Ordem Pública da capital.

De janeiro a agosto deste ano, a Secretaria de Estado de Polícia Militar do Rio de Janeiro prendeu 20.606 pessoas entre janeiro e agosto deste ano. No mesmo período, 4.244 armas foram apreendidas pela corporação, sendo 209 fuzis.

De acordo com o último levantamento do Instituto de Segurança Pública (ISP-RJ), só no último mês, 560 armas foram apreendidas – número que inclui também as ações da Secretaria de Estado de Polícia Civil – sendo 24 fuzis. O número é 4% maior que o registrado no mesmo mês de 2020.

O combate ao crime organizado, ligado ao tráfico de drogas ou à milícia, é prioridade da nossa gestão. Todos os dias, os agentes de segurança estão nas ruas para atuar com rigor no cumprimento da lei. Esse trabalho, que tem como base a inteligência, é fundamental para a redução dos índices de criminalidade, como o menor número de homicídios dos últimos anos” – disse Cláudio Castro.

Trabalho das polícias


Se somar os dados das polícias Militar e Civil, ao todo, foram 4.248 armas retiradas de circulação no período entre janeiro a julho deste ano – 240 delas somente de fuzis. Em média, isso representa mais de um fuzil apreendido por dia em 2021 no estado.

Ainda de acordo com dados do ISP, foram 1.699 apreensões de drogas no mês de julho. No mês, as polícias civil e militar cumpriram 1.004 mandados de prisão e realizaram 2.711 prisões em flagrante.

Especialistas em análise política dão conta que a política de segurança é um dos principais trunfos do governador, juntamente com sua atuação na venda da concessão da CEDAE, pilotada de forma surpreendente pelo secretário de governo Nicola Miccione, considerado um dos mais técnicos e focados membros do gabinete estadual. O ágio obtido superou todas as expectativas do mercado de capitais, e os recursos arrecadados devem possibilitar investimentos como há muito tempo não se via.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui