Foto: Divulgação/Prefeitura

No segundo semestre, a Prefeitura do Rio dará início ao projeto de expansão e modernização do Centro de Operações Rio (COR), o maior centro de monitoramento urbano da América Latina. A ampliação do órgão, localizado na Cidade Nova, região central da cidade, será de 1.400 metros quadrados. Isso representa um aumento de cerca de 50% em relação à área total construída atualmente.

O projeto é um dos resultados da Parceria Público-Privada (PPP) de iluminação pública do Rio – o programa Luz Maravilha, por meio da Rioluz e da Secretaria Municipal de Infraestrutura, que permitirá o acesso a 10 mil novas câmeras, cinco mil pontos de wi-fi e cerca de nove mil sensores georreferenciados, entre outros ganhos para o município.

Com a expansão, após 10 anos de inauguração, o COR contará com mais tecnologia de ponta, com recursos humanos e tecnológicos capazes de desenvolver soluções de Internet das Coisas (Internet of Things – IoT) e cidade inteligente (Smart City). Todo o projeto será custeado 100% pela PPP, com previsão de conclusão até março de 2022, incluindo as etapas das obras, da compra, instalação e configuração de novos equipamentos, testes de usabilidade e ajustes finos.

O chefe executivo do COR, Bruno Ramos, e a secretária municipal de Infraestrutura, Kátia Souza, serão responsáveis por coordenar essa transformação.

Estamos elevando o COR a um novo patamar de serviços tecnológicos, retomando o protagonismo do Rio entre as cidades mais inteligentes do país. Das 10 mil câmeras, cerca de 40% terão tecnologia de reconhecimento facial. A conectividade do nosso município e das pessoas vai contar com cinco mil pontos gratuitos de wi-fi. Esses pontos vão trabalhar com sensores IoT capazes de gerar dados que serão tratados por uma equipe técnica para transformá-los em serviço para o cidadão. Nossa meta é utilizar toda essa tecnologia para tornar a operação cada vez mais preditiva e menos reativa, antevendo situações de crise e melhorando a pronta resposta a ocorrências“, explica Bruno Ramos.

Kátia Souza afirmou que “o Rio de Janeiro será uma cidade inteligente com a chegada da tecnologia do Luz Maravilha. O monitoramento ocorrerá nesta expansão. Temos feito reuniões periódicas e a Infraestrutura está à frente de todos os detalhes da obra. O projeto do novo prédio terá a Certificação LEDD e contará com a reutilização da água e eficiência energética“.

O presidente da Rioluz, Bruno Bonetti, contou como funcionará o novo equipamento: “o Luz Maravilha vai permitir que o Rio alcance indicadores de conectividade em áreas públicas. Também serão implantadas outras tecnologias como quatro mil sensores de resíduos sólidos em bueiros e seis mil sensores de sinais de trânsito, que vão melhorar o fluxo do tráfego”.

Além da ampliação da sala para abrigar o novo Centro de Controle Operacional (CCO) do Luz Maravilha, a expansão contará com três novos pavimentos, que serão erguidos ao lado do prédio atual, ocupando parte da área onde hoje funciona o estacionamento. É prevista ainda a construção de refeitório e vestiários aos fundos.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui