Refletor no Arco do Telles não se adequa à região | Foto: Rafa Pereira

Chamam atenção no Centro do Rio, mais especificamente no Arco do Telles, refletores que não se adequam ao local. Por se tratar de uma região histórica, com imóveis tombados e uma arquitetura diferenciada, os objetos destoam totalmente do ambiente onde se encontram.

O DIÁRIO DO RIO entrou em contato com o Instituto Rio Patrimônio da Humanidade (IRPH), que afirmou que, em fevereiro deste ano, teve início um Programa de Recuperação da Iluminação Histórica do Centro do Rio, que prevê a restauração do posteamento histórico em ferro fundido, inclusive arandelas, arcos e cordoalhas de iluminação, para recompor trechos onde haja ausência de elementos.

Ainda segundo a nota do IRPH, “o programa faz parte das ações intersetoriais de gestão do espaço público, desenvolvidas no escopo do Plano Urbano de Requalificação do Centro do Rio de Janeiro – Reviver Centro”.

Reviver Centro

O plano urbano Reviver Centro visa estimular a recuperação social, econômica e urbanística do Centro do Rio, atraindo para a área novos moradores e estabelecendo diretrizes para a renovação, qualificação e manutenção do espaço público e os bens históricos de uma região de 5,72 quilômetros quadrados da cidade.

O projeto tem como um de seus objetivos fortalecer a condição do Centro do Rio como um dos principais centros urbanos do país e do mundo, apresentando soluções para o esvaziamento da região, que ajuda a gerar o aumento da insegurança e a falta de ordenamento urbano.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui