O Prefeito Cesar Maia na edição de sua newsletter diária, chamada de ex-blog, faz comentários sobre o Bangu Shopping e o impacto que terá na área. Para quem se interessa pelo Rio vale ler e torcer para que o shopping dê certo.

BANGU-SHOPPING: UMA INTERVENÇÃO MAIS URBANA QUE COMERCIAL!

1. Dia 30 de outubro será inaugurado o Bangu-Shopping, no imóvel -preservado- da antiga -e clássica- Fábrica Bangu. Esse investimento -mais que impacto comercial- tem um impacto urbano.

2. Décadas atrás -Bangu era um bairro industrial com marca associada a industria da moda e com padronagem internacional- por sua fábrica de mesmo nome, e promoções associadas como Desfile de Moda Bangu, Miss Bangu, etc… O multiplicador gerou uma ocupação ordenada do solo, pelas casas construidas para os trabalhadores e um forte entorno comercial e de lazer com o clube, cinemas, etc…

3. Na época o eixo ferroviário Bangu-Madureira, expressava uma forte e densa atividade econômica industrial-comercial. Madureira chegou a ser o maior contribuinte de imposto ao varejo da cidade. Na época Bangu era um pólo do eixo da Zona Norte. Com o esvaziamento da Fabrica e o multiplicador que produziu, aliado ao esvaziamento comercial da Madureira, toda a região foi afetada.

4. A classe média local passou progressivamente a migrar para outros bairros inclusive a Barra da Tijuca -seja residencialmente, seja -especialmente como consumidora. Bangu – pólo do eixo da Zona Norte passou a não mais ser percebido assim. e passou -na época, por absorver as características dos demais bairros da grande região em processo de ocupação desordenada, que durou até os anos 80.

5. Em 2001 uma pesquisa feita com jovens de classe média local apontou que 93% deles tinham como prioridade ter um shopping de qualidade. A tradução disso é lazer de qualidade com segurança e beleza. Imediatamente a prefeitura iniciou as obras do Rio-Cidade de Bangu, onde o arquiteto Paulo Casé apostou na qualidade e beleza. O resultado comercial foi espetacular a ponto de que uma faixa problemática e conflitiva de camelôs, ter sido transferida para um mercado construído pelo projeto, com grande sucesso e tranquilidade.

Para Cesar Maia Bangu Shopping terá imapcto comercial e urbano 6. Simultaneamente, junto com o proprietário da Fabrica, a prefeitura iniciou os estudos de instalação de um shopping garantindo a preservação patrimonial básica da Fábrica. Vários modelos foram testados e finalmente os grupos João Fortes e Alliancce, assumiram o projeto que será inaugurado este mês. Esta intervenção relança Bangu como pólo do eixo Zona Norte e rearticula Bangu-Madureira.

7. Nesse momento a prefeitura através da secretaria de urbanismo, caminha para aprovar o projeto Light-Brascan em Madureira, de construção de edifícios residenciais de classe média, nas áreas da Lit, a partir da compactação das linhas de transmissão, associada a um parque público e intervenções de qualificação urbana que virão em seguida. Com isso relança-se esse eixo Bangu-Madureira. Certamente a Supervia irá "metrolizar", (qualidade, ar condicionado, frequencia menor), os trens neste trecho, sinergizando com a reativação comercial da área.

8. O Bangu- Shopping tem área de 140 mil m2, sendo 43.300 área bruta locável -ABL. Terá 200 lojas com as lojas âncoras (Lojas Americanas, Leroy Merlin, Leader Magazine, Casas Bahia, Casa & Vídeo, C&A, Ponto Frio e CineSystem). A praça de alimentação terá 1.110 m2. O estacionamento tem capacidade para 2,6 mil vagas. Serão 3 mil empregos diretos e certeza que 200 mil veículos e pelo menos 1 milhão de pessoas circularão por mês nos corredores do Bangu-Shopping.  Pelo menos!

9. Esse é um exemplo de intervenção urbana ancorada duplamente, pela urbanização de qualidade do calçadão de Bangu (Rio-Cidade), e pelo Bangu-Shopping, que se articularão com a revitalização do centro de Madureira via projeto Light-Brascan-Prefeitura, relançando toda a região afetada. Pelo menos!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui