As últimas pesquisas para Senador mostra um cenário de empate entre 4 candidatos ao Senado, tanto no IBOPE, quanto no DataFolha, deixando a corrida apenas com Cesar Maia (DEM), Flávio Bolsonaro (PSL), Lingbergh Farias (PT) e Chico Alencar (PSOl). Ou seja, 1 candidato conservador, 1 de Centro e 2 de esquerda, e isso pode determinar a estratégia do voto dos eleitores, em especial o conservador.

É fato que a família Bolsonaro é um portento de votos hoje no estado do Rio, levando boa parte dos votos dos conservadores. E esse cenário para o Senado, com 2 candidatos a esquerda com chances de vitória, pode fazer com que o ex-prefeito do Rio herde o 2º voto de Flávio Bolsonaro (este ano se escolhe 2 senadores). Afinal, um Bolsonarista deixar de votar em Maia, pode indiretamente tá elegendo Lindbergh ou Chico, e não vai dar para explicar isso em casa, né?


Tudo sobre as eleições 2018 no Rio de Janeiro

Vale ressaltar que Chico Alencar é de uma imensa qualidade parlamentar, várias vezes eleito como o melhor deputado em Brasília, mas com pautas progressistas que causam ojeriza ao eleitorado conservador. Já Lindbergh tornou-se no senado um advogado de Lula, deixando de defender o estado do Rio, o que afasta qualquer um que antipatize com Lula.

Outro fato interessante, desta vez para governador, é que Romário (Podemos) pode perder os votos conservadores, é que se eleito, quem assume seu mandato no Senado (ele ainda tem mais quatro anos) é seus 1º suplente é João Batista Lemos, comunista histórico, e presidente do PCdoB no estado do Rio. Ou seja, se paparem mosca, os conservadores podem eleger 2 senadores de esquerda, coisas da política do Rio.

Sobre Romário, no vídeo abaixo falo sobre Lemos e outros fatos que o tornam o pior candidato a governador do Rio:

 

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui