Um longo abraço envolveu nesta segunda-feira, 17/05, o Centro Provisório de Acolhimento (CPA) LGBTI da Prefeitura do Rio, que abriga atualmente 50 pessoas, na Lapa. No Dia Internacional do Combate à lgbtifobia, o evento foi um reconhecimento à importância da inserção social de pessoas LGBTI em situação de vulnerabilidade. Também foi apresentado o Manual para Evitar a Violência LGBTIfóbica.

É um dia importante, dia de luta, para pôr para fora as dificuldades dessa comunidade. Diariamente pessoas são mortas apenas por causa da sua orientação sexual. Cada um faz do seu corpo e do seu amor o que quiser, infelizmente nem todo mundo compreende essa dinâmica – afirmou a secretária municipal de Assistência Social, Laura Carneiro.

Muitas vezes a gente não discute a violência estrutural, que é aquela que ataca a capacidade econômica da comunidade. A Assistência Social é a área mais importante para acabar com a violência estrutural, porque a lgbtifobia não pode ser respondida só com polícia – declarou em seguida Cláudio Nascimento, coordenador executivo do Grupo Arco-Íris, e da Aliança Nacional LGBTI+.

Nesta terça-feira, 18/05, às 14h, será realizada atividade do projeto “Transportar para o Amanhã”, com a oficina “Compartilhando histórias, experiências e trajetórias de vida”, em parceria com o Instituto Transformar Shelida Ayana. E no dia 20, quinta-feira, no mesmo horário, a oficina “Processo de retificação civil (nome e gênero), como solicitar Carteira de Identificação Social, como retificar dados na Receita Federal, no Cartório Eleitoral e no INSS”, em parceria com o Grupo Pela Vidda Rio. Sempre no CPA LGBTI, na Rua Tenente Possolo, 49, Centro.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui