Chicago está na frente. Rio e Madri em segundo

Texto traduzido do site da ATR (fonte: Ex-Blog Cesar Maia)

Chicago está na frente. Rio e Madri em segundo

23/01/2008

ATR 2016 Olympic Bid Power Index Quatro candidaturas olímpicas para 2016 formam uma “Super Liga”segundo a ATR

Chicago, candidata americana, já está na liderança do Índice da candidatura Olímpica do ATR. Este é o único ranking de cidades candidatas para as Olimpíadas que não é feito pelo Comitê Olímpico Internacional- COI e que é baseado na análise de experts e no contato em primeira mão com as cidades candidatas.

Chicago tem 79 pontos dos 110 do Índice que cobre 11 categorias. Algumas são subjetivas, outras são baseadas em números fornecidos pelas cidades candidatas ou obtidas pelo ATR. O primeiro contato é também o ponto-chave para os rankings. Há pouco tempo, experts do ATR visitaram as cidades com exceção de Baku, no Azerbaijão.

O primeiro resultado do Índice de Candidaturas do ATR indica que uma “Super Liga”

de quatro cidades- Chicago, Madri, Rio e Tóquio- vai definir a corrida.

Chicago conquistou a liderança por sua forte infra-estrutura, por ser uma cidade-sede com plano de equipamentos esportivos centralizados e por seu impactante programa de marketing. O que significa que os principais rivais também devem ter os mesmos requisitos para realizar grandes Jogos em 2016. Tóquio e Madri têm uma extraordinária experiência e infra-estrutura.

O Rio de Janeiro será uma candidatura para ser observada por sua campanha para sediar pela primeira vez os Jogos na América do Sul. Neste sentido, Doha pode ser um sério concorrente já que também se apresentou ao COI como o primeiro a ter chances de levar os Jogos à nação árabe.

Praga e Baku não aparecem como tendo algo a ser seriamente considerado para 2016. Praga tem na infra-estrutura o seu maior desafio. O mesmo acontece com Baku, que não tem experiência de sediar grandes eventos esportivos internacionais.

Este Índice inicial será alterado nos próximos meses por análises adicionais e atualizações nas categorias nas quais as cidades são avaliadas. Mais detalhes são necessários para algumas cidades; visitas pelo staff do ATR serão realizadas e mudanças nos itens avaliados podem resultar em alteração no ranking.

O número de sete concorrentes não permanecerá por muito tempo. O Conselho Executivo do COI revelará uma lista em junho com as finalistas. O número ainda não é certo.

O ranking também não significa uma previsão para o voto do COI no dia 2 de outubro de 2009, mas mostra pontos fracos e fortes das cidades. O mais recente Índice da ATR para os Jogos Olímpicos de Inverno de 2014 mostrou, no ano passado, dois concorrentes: Sochi e Pyeong Chang, uma votação apertada para o COI e vencida por estreita margem por Sochi.

Aqui está o quadro de avaliação de candidaturas, seguido de comentários por categoria:

Quadro ATR

Aeroporto Hara, Chicago Acomodação: quantidade e qualidade

Com a recomendação do COI para cerca de 30 mil quartos para a cidade-sede, a maioria deles a aproximadamente 10 km da Vila Olímpica, Chicago lidera com mais de 90 mil quartos próximos à Vila. Tóquio tem 76 mil e Madri 38 mil em um raio de 10 quilômetros.

O Rio de Janeiro, apesar de sua reputação mundial como destinação turística, conta somente com 28 mil quartos a 10 km da Vila Olímpica na zona oeste do Rio de Janeiro

E outros 50 mil a 50 km de distância.

Praga oferece 12 mil quartos no raio de 10 km.Doha tem 5,5 mil quartos e mais 11 mil vagas em apart-hotéis. Baku afirmou que terá 11 mil quartos de hotel em 2016, o que significa o terço do número necessário aos Jogos Olímpicos.

Chicago e Tóquio hospedarão a mídia em hotéis enquanto Madri e Rio de Janeiro usarão a combinação de quartos de hotéis e vilas de mídia enquanto Baku, Doha e Praga

Usará vilas de mídia, o que não é a opção preferida pela maioria da imprensa. Baku também propõe 8 mil quartos para a Família Olímpica e espectadores em projetos de hospegadem domiciliar.

Cenário: a cidade é confortável, receptiva ao turista e um prazer para visitar?

Chicago é a líder no grupo de hotéis, restaurantes e outras amenidades, todos localizados no vibrante centro da cidade à beira do Lago Michigan.

Pela beleza, nenhuma cidade pode competir com a magnífica paisagem do Rio de Janeiro ou ao estilo de vida do carioca. E embora a cidade sofra com uma reconhecida, os Jogos poderão ser neste cenário, que é o mais belo do Brasil.

Tóquio também é um renomado centro de destinação turística com serviços de alta qualidade e atração para seus visitantes. Madri é um destino turístico vibrante e sofisticado, com excelente infra-estrutura turística. Doha oferece a beleza do seu litoral ao longo do Golfo Pérsico, mas sem muitas possibilidades para o turismo. Praga pode não ter o grau de serviços oferecido pelos grandes competidores mas pode vencer pelo seu charme.Sua Cidade Antiga é uma das preciosidades do mundo.

 O Rio aumentou suas chances para uma candidatura vitoriosa em 2016 pela realização dos Jogos Pan-americanos. Baku é situado no Mar Cáspio, o que é um “plus”. Mas, por anos a fama do Azerbaijão deve-se aos seus campos de petróleo e de gás mais do que a beleza natural do país. Atletas e dirigentes que estiveram no Campeonato de Levantamento de Peso no ano passado deram diferentes versões da cidade como um lugar para ser visitado.

Operações da campanha:liderança, estratégia e relações públicas

Chicago, Doha, Madri, Tóquio e Rio de Janeiro lançaram suas campanhas com pé no chão e claras demonstrações de apoio de relevantes governantes. Poderosos líderes saíram em campo para cada uma destas campanhas e as quatro que formam a Super Liga também tiveram sólidas equipes de comunicação para divulgar suas mensagens. Praga parece não ter apoio governamental. Baku está se candidatando sem o apoio governamental.

Um risco para Doha é a proposta de realizar os jogos nas duas últimas semanas de outubro para evitar o calor do verão. Algumas emissoras de TV parecem não se importar com esta mudança, o que pode derrubar os preços de transmissão. Atletas terão que fazer ajustes em suas agendas, ao mesmo tempo em que os jogadores de basquete da NBA podem não estar disponíveis já que suas temporadas começam no mesmo tempo em que os Jogos Olímpicos.

Tóquio vai desenvolver a área ao longo de sua baía para o Estádio Olímpico (ATR) Custo dos Jogos e finanças: o custo operacional dos Jogos, a infra-estrutura necessária e os riscos financeiros inesperados. Pontuações altas indicam custos baixos.

Praga terá o maior gasto em infra-estrutura, mais do que US$ 27 bilhões em vários projetos de transporte. Outros US$ 1,5 bilhão está planejado para instalações esportivas.

Doha e Tóquio vêm em seguida, com os maiores orçamentos para instalações esportivas e infra-estrutura, com cerca de US$ 10 bilhões. Para ambas, a maioria do investimento vai para projetos de transporte. Tóquio planeja US$ 2,1 bilhão em instalações, metade somente para o Estádio Olímpico.

O Rio de Janeiro lista US$ 2,4 bilhões gastos ao longo de 2016, sem incluir a melhora do seu aeroporto. O orçamento de US$ 507 milhões em instalações é o mais baixo de todas as candidaturas.

Chicago vai gastar cerca de US$ 800 milhões em instalações esportivas enquanto US$ 2,7 bilhões serão investidos em projetos de transporte, independente dos Jogos Olímpicos 2016.

Baku planeja investir US$ 4 bilhões em infra-estrutura até 2016 para melhorar os transportes viários, o metrô e o aeroporto. Outros US$ 1 bilhão serão investidos na construção de instalações esportivas.

Madrid tem a experiência dos Jogos Olímpicos de 2012 Jogos recentemente realizados no país: maior a pontuação, mais distante os jogos. Algum crédito poderia ser dado a recentes candidaturas olímpicas.

Baku, Doha, Praga e Rio nunca sediaram os Jogos, o que lhes dá alta pontuação neste item. Chicago e Madri têm pontuação média,já que EUA e Espanha foram sedes de jogos passados. Tóquio está concorrendo à sede pela segunda vez.

Legado: impacto dos Jogos Olímpicos na cidade e instalações sustentáveis

Claramente, para Baku e Praga, o desenvolvimento de novas instalações para os Jogos deixariam um forte legado esportivo, como seus rivais dispõem. Baku espera transformar oito campos de petróleo desativados em um Parque Olímpico, próximo à Vila Olímpica – que seriam transformadas em residências após os Jogos.

O Rio planeja um novo Parque Olímpico que seria transformado em um centro de treinamento para a elite de atletas de toda a América do Sul.

Chicago planeja novas instalações como um centro aquático, que ficaria como legado.Também planeja um estádio Olímpico que seria reduzido depois dos jogos para ficar como legado para a vizinhança.

Doha, que tem várias instalações novas construídas para os Jogos Asiáticos de 2006 –

pretende usar os jogos para construir uma infra-estrutura de transporte. Madri construirá novas instalações em áreas abandonadas que precisam ser revitalizadas.

Tóquio deve construir novas e modernas instalações ao mesmo tempo em que usa as emblemáticas instalações dos Jogos de 64. Entretanto, uma raia de remo de US$ 300 milhões projetada para a região da baía de Tóquio é capaz de causar impacto.

Marketing: tamanho e impacto dos programas de marketing

Chicago, com US$ 2,5 bilhões para o marketing para a campanha, é o líder entre as cidades aspirantes a 2016. Tóquio e Madri estão na faixa dos US$ 1,6 bilhão enquanto Rio e Doha propõem metade desta quantia. A proposta de Praga e Baku é de US $ 960 milhões.

O Rio foi pressionado a provar que o fato de sediar a Copa do Mundo de 2014 não interferiria na receita e nas atenções que o COI espera que os Jogos Olímpicos recebam.

É que a estimativa da receita de marketing de US$ 750 milhões do Rio – menos US$ 200 milhões do que as projeções de Doha e Baku – é difícil de explicar.

Apoio público: ranking baseado na informação do dossiê

Praga aparece no final, com 50% de apoio da população. Baku está na frente, com 92% das pessoas manifestando o apoio aos Jogos. Doha e Madri seguem com 86% de apoio. O Rio vem em seguida com 78%, Chicago com 76 % e Tóquio com 60% de apoio público.

Doha Segurança: reputação e qualidade da segurança, percepções de risco

Rio é a única cidade entre as candidatas que tem uma reputação para assuntos de segurança devido à violência das gangues e crimes de rua. Entretanto, os Jogos Pan-americanos ocorreram sem nenhum problema.

Chicago tem sua própria história da violência das gangues, 80 anos atrás, quando Al Capone e outros gangsters espalharam a violência pela cidade. Chicago hoje é uma cidade segura para se visitar. Mas, como cidade americana, a ameaça de um ataque terrorista é uma possibilidade.

A mesma ameaça paira sobre Madri por causa dos atritos com os separatistas bascos do ETA.

Doha é um lugar calmo mas sua posição geográfica no Oriente Médio levaria alguns visitantes a se preocupar.Os recursos de segurança do Qatar necessitam ser incrementados.

Tóquio tem um nível baixo de criminalidade nas ruas e não muitas preocupações sobre um ataque terrorista.

Embora o Azerbaijão também tenha recursos para ser um reino de segurança ,os Jogos em Baku poderiam ser um problema. O dossiê diz que uma força de 80 mil homens está disponível para a segurança dos Jogos. Mas o movimento separatista Nogorno-Karabak restringiu o acesso de turistas a uma parte do Azerbaijão.

Praga e sua Cidade Antiga talvez sejam o mais charmoso lugar entre as sete cidades na disputa por 2016  Transporte: facilidade de viajar, múltiplas opções de transporte, aeroportos, qualidade do transporte público, táxis

Chicago parece ser a mais bem preparada hoje, em múltiplos fatores desta categoria, mas também não é perfeita.

Tóquio e Madri têm um extraordinário sistema de transporte público e eficientes aeroportos.O Rio necessita de melhorias em seu aeroporto e no trânsito de rua para ser uma boa anfitriã.

O trânsito pode ser uma complicação surpreendente para a estreita Doha, que tem aspirações para que uma linha de trânsito de muitos bilhões de dólares possa ajudar o deslocamento da multidão olímpica.

Praga necessita expandir o transporte de massa de superfície enquanto Baku tem um metrô da era soviética com poucas falhas em seu histórico de segurança. A viagem aérea para Baku pode ter múltiplas paradas uma vez que poucos aeroportos da Europa oferecem vôos diretos.

Instalações e plano geral: número de instalações a serem construídas, Vila Olímpica e proximidade

Cinco das cidades entram na corrida para 2016 com impressionante credenciais de instalações, necessitando construir o mínimo: Chicago, Doha, Madri, Rio de Janeiro, e Tóquio. Cada uma necessita de poucas instalações novas para sediar os Jogos.

Praga e sua Cidade Antiga talvez sejam o mais charmoso lugar entre as sete cidades na disputa por 2016 O Estádio Olímpico é necessário em Baku, Madri, Praga e Tóquio. Baku necessita também um investimento maior para sediar os jogos.

O plano de Tóquio poderia parecer o mais compacto, com todas as instalações a 8 km da Vila. Mas o seu centro dosJjogos está a cerca 10 km das principais partes de Tóquio e tudo o que a cidade oferece.Como Madri, Doha e Rio, cada uma delas coloca a Vila Olímpica em áreas suburbanas.

Chicago planeja uma Vila Olímpica no centro da cidade, com a maioria das instalações esportivas também situadas no centro e poucas nos subúrbios.

Baku planeja construir seu Parque Olímpico e a Vila perto do centro da cidade, ao longo do Mar Cáspio mas o orçamento de $1 bilhão para 26 instalações,incluindo os mais importantes esportes, parece ser pequeno.

Escrito por Ed Hula

Site ATR