O Diário do Rio sempre se mostrou favorável a Cidade da Música, hoje Cidade das Artes, é incrível ter sido quase solitário nessa defesa. É como se o Rio não quisesse ter um mega empreendimento cultural, ou não necessitasse dele. E era triste ver figuras do mundo das artes ser contra por meras razões políticas.

E depois de quase 10 anos meio esquecida, muito graças a gestão anterior, logo a administração do prefeito Marcelo Crivella, resolveu dar uma atenção a ela e isso diminuindo o gasto anual de R$ 32 milhões para R$ 16 milhões. Só que apesar desse corte, em um trabalho incrível dos gestores da Cidade das Artes, conseguiram subir o público de 160 mil pessoas por ano, para mais de 400 mil em 2018, transformando o espaço num dos polos culturais mais ativos e movimentados da cidade. Desde 2017, mais de 1.500 atrações passaram pela Cidade das Artes, entre produções artísticas e eventos abertos a todas as pessoas.



Teve grandes eventos, como o musical Noviça Rebelde, mas não foram apenas grandes atrações. São realizados, semanalmente, oficinas, palestras, cursos, workshops nos mais variados temas de forma gratuita. Também foi criado o Projeto Jovens Músicos, onde estudantes de comunidades como Gardênia Azul, Cidade de Deus, Anil etc têm aulas de violão e teclado também de graça, com possibilidade de levar os instrumentos emprestados para casa. A ideia é atrair um público que, antes, não se sentia convidado a entrar na Cidade da Artes e dar-lhes o poder de pertencimento a este espaço público único e enriquecedor. E essa era a ideia inicial do ex-prefeito Cesar Maia quando resolveu criar a, na época chamada, Cidade da Música, levar música clássica para os menos favorecidos.

Não é à toa que uma nova campanha da Cidade das Artes diz que o “Elefante Branco” está sendo colorido, como forma de se apropriar de um elemento outrora negativo transformando-o em símbolo da virada.

Como um elefante atrai o outro, o pessoal que produz o Elephant Parade, exposição que trouxe ao Rio 60 esculturas que reproduzem filhotes do bicho em tamanho natural, também resolveu participar do projeto. Atualmente, dois elefantinhos pintados estão expostos, durante todo o mês de novembro, na esplanada da Cidade das Artes.

E fica como mais um exemplo de quando o Poder Público quer, e se cerca de pessoas capazes, é possível melhorar a vida das pessoas e da cidade.

 

1 COMENTÁRIO

  1. Temos que louvar os esforços da administração Crivella em prol de promover importantes ativos da cidade. Não se deve esquecer que passo relevante nesse sentido foi levar a sede da Riotur para a Cidade das Artes. dando demonstração concreta de revigoracao daquele importante equipamento de nossa capital. Paravens a todoa que tornaram possivel essa mudança, em particular a Secretaria de Cultura da municipalidade. Parabéns prefeito Crivella!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui