Secretário Salvino Oliveira e prefeito Eduardo Paes na inauguração, neste sábado (09/01) - Foto: Beth Santos

Foi inaugurado neste sábado (09/01) pela Secretaria Especial da Juventude Carioca (JUVRio), na Cidade de Deus, Zona Oeste do Rio, o 1º de 10 Memoriais da Luta da Juventude no Enfrentamento à Covid-19. A homenagem é a primeira ação pública da JUVRio, que foi criada na gestão atual do prefeito Eduardo Paes para formular e implementar políticas públicas voltadas especificamente para a população jovem da cidade. A homenagem foi instalada na Praça Padre Júlio Groten, revitalizada com nova pintura, luz e manutenção do mobiliário em ação conjunta com a Subprefeitura de Jacarepaguá, Secretaria Municipal de Conservação (Seconserva), Comlurb e Rioluz.

Presente na inauguração, Paes reforçou o diálogo aberto da atual gestão com as lideranças e coletivos que receberam a homenagem: ”Essas organizações não existem para substituir o poder público, mas sim para somar com a gente. Infelizmente na gestão anterior isso não aconteceu e eles tiveram que correr atrás, então esse momento é para homenagear essas pessoas que foram à luta em um momento difícil. A diferença agora é que vocês não estão mais sozinhos.”

Ainda serão inaugurados, até a próxima sexta-feira (15/01), outros 9 memoriais serão inaugurados em locais como Maré, Vila Kennedy, Jacarezinho, Alemão, Rocinha, Providência, Bancários e Santa Cruz. Os jovens, que têm entre 14 a 29 anos, representam cerca de 24% da população total do Rio, segundo o último Censo Demográfico do IBGE. São mais de 1,5 milhão de cariocas que agora serão atendidos pela nova secretaria.

Salvino Oliveira, secretário especial da Juventude Carioca, destacou a importância da homenagem como ação prioritária dos primeiros 15 dias de governo: ”Os jovens periféricos foram protagonistas na mobilização para reduzir os impactos diretos da pandemia de Covid-19 em seus territórios. É simbólico que nossa primeira grande ação destaque a juventude carioca que já está fazendo acontecer, que está correndo atrás não apenas da sua sobrevivência, mas também dos demais.”

Os locais de instalação dos memoriais foram escolhidos como prioritários pela proporção de jovens e a forte mobilização local destes. O Censo Demográfico do IBGE confirma que é nas favelas e periferias onde está concentrada a maior parte dessa faixa etária, principalmente na Rocinha (32%), Maré (29%), Complexo do Alemão (28%) e Jacarezinho (28%).

Foto: Bernardo Cordeiro

A JUVRio atuou em parceria com diversos coletivos nas localidades selecionadas para realizar a homenagem. Nascido e criado na Cidade de Deus, Ricardo Fernandes faz parte do coletivo Arteiros e coordenou os trabalhos do Frente CDD durante a pandemia, articulando com pessoas, outros coletivos, ONGs, projetos e instituições de vários setores e áreas da cidade para redução dos impactos do coronavírus no território.

Ele vê com bons olhos a iniciativa da secretaria e elogiou o diálogo aberto estabelecido já de início: ”É uma homenagem muito necessária e importante, fico feliz pela sensibilidade da JUVRio. Esses jovens e coletivos foram essenciais em um momento histórico da humanidade e se colocaram em risco em prol da sobrevivência dos seus.”

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui