Foto: Reprodução/Antigo projeto da Transbaixada

Um projeto antigo que nunca saiu das promessas faz parte dos planos do governador Cláudio Castro: a Tranbaixada. Segundo informações do jornal “Extra”, Castro pretende levar adiante a construção da rodovia. O projeto é que a nova estrada ligue os municípios de Duque de Caxias, São João de Meriti, Belford Roxo, Mesquita e Nilópolis.

Ao “Extra”, Castro afirmou que a ligação entre os municípios por onde a Transbaixada deve passar promete reativar a economia na região, muito atingida durante o período da pandemia, atraindo empresas. Dessa forma, a construção poderia gerar novos empregos para a população.

Lançamos em janeiro deste ano o Facilita Rio, programa de concessões de serviços e ativos estaduais que serão assumidos pela iniciativa privada nos próximos anos. Entre os projetos está a Transbaixada, que vai beneficiar os moradores de Duque de Caxias, São João de Meriti, Belford Roxo, Mesquita e Nilópolis. Mais do que melhorar o tráfego de veículos e garantir a qualidade de vida da população que se desloca entre esses municípios, a Transbaixada vai contribuir para o desenvolvimento econômico da região, atraindo, inclusive, novas empresas“, disse o governador.

Na semana passada, o governador também prometeu destinar R$ 7 bilhões em obras de infraestrutura no estado nos próximos dois anos, sendo que parte dos recursos será utilizado em rodovias.

Projeto antigo

A Transbaixada foi idealizada ainda no governo Sérgio Cabral. Anunciada em 2011 com prazo para entrega em 2013, a rodovia teve o prazo de construção adiado e acabou sendo deixada de lado após as denúncias de corrupção da gestão.

O projeto inicial previa uma ligação entre a Rodovia Washington Luís, a Via Dutra e a Via Light, com as pistas sendo construídas nas margens do Rio Sarapuí. Na Via Light, seriam feitas duas integrações com a Avenida Brasil. A primeira, prosseguindo às margens do Sarapuí por dentro do Parque Municipal Natural do Gericinó até Bangu, e a segunda com o prolongamento da própria Via Light de Anchieta, onde a mesma termina atualmente, até Guadalupe.

Essa última extensão, viabilizaria a criação de uma linha de BRT e desafogaria o trânsito da Rodovia Presidente Dutra, permitindo uma nova ligação direta entre os municípios de Nova Iguaçu, Mesquita, Nilópolis e São João de Meriti com a Avenida Brasil.

Além das obras de construção das pistas, seriam construídas também pontes e viadutos para integração com algumas das principais vias que cortam a Baixada, como a Avenida Automóvel Clube e a Rua da Matriz, em São João de Meriti, assim como ciclovias nas duas margens, e praças e espaços de lazer.

Ao todo, para a construção, seriam desapropriadas cerca de cinco mil residências, cujas famílias seriam realocadas em unidades do Programa “Minha casa, minha vida”.

1 COMENTÁRIO

  1. O problema é esse negócio de minha casa minha vida (desgraça) que nunca vinga e o povo fica uma parte desamparada e outra no aluguel social.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui