O Governador do RJ antecipa o pagamento dos servidores estaduais pela 12ª vez / Foto: Rafael Campos

O Rio de Janeiro vive o momento de maior queda nos índices de Covid-19 e a melhora do cenário estadual pode ser conferida em todas as regiões, em razão do avanço da vacinação. As internações e os óbitos caíram cerca de 60%, se comparados os meses de agosto e setembro, e o estado atingiu 94% da população adulta vacinada com a primeira dose e 56% com o esquema vacinal completo.

Os números são resultado do esforço feito pelo Governo do Estado para combater a pandemia, por meio de uma série de ações, como o aumento da testagem para o coronavírus, a abertura de leitos e do Hospital Estadual Dr. Ricardo Cruz, em Nova Iguaçu, exclusivo para o tratamento de Covid-19. Além disso, desde o recebimento do primeiro lote de vacinas, a velocidade na distribuição de imunizantes aos municípios conferiu igualdade no tratamento da capital e do interior e ajudou a salvar vidas. Vislumbrar o retorno à normalidade com segurança, tanto no trabalho quanto no lazer, é possível, mas ainda sob os cuidados das medidas sanitárias.

No entanto, há mais políticas de saúde em desenvolvimento e que merecem ser conhecidas e reconhecidas, sobretudo os investimentos realizados durante a maior crise que a humanidade viu nos últimos cem anos. A chegada de quatro equipamentos para a realização de exames pelo Laboratório Central Noel Nutels vai ampliar em cinco vezes a capacidade de realização de exames de RT-PCR, que identificam não somente o vírus da Covid-19, mas também Influenza A e B, dengue, zika e chikungunya. Isso significa testar mais pessoas, mais rápido, e chegar a diagnósticos mais precisos.

Investimentos de quase R$ 1 bilhão na recuperação de unidades de saúde vão aumentar a oferta do serviço e o número de leitos, assim como a aquisição de ambulâncias e a construção de bases descentralizadas do SAMU vão contribuir na expansão do serviço. O valor é parte dos R$ 1,6 bilhão disponibilizados no Pacto RJ, projeto que vai transformar as condições de vida da Rio de Janeiro nos próximos três anos.

Há ainda o programa Laços – Maternidade Segura que destinou mais de R$ 159 milhões para custeio da humanização de nascimentos de bebês, incentivando a realização de partos normais. O programa Governo Presente na Saúde vai intensificar a integração entre população e médicos com visitas às regiões do estado para conhecer as necessidades de cada local e ajudar a implantar soluções e, assim, prestar ao cidadão o cuidado que ele efetivamente precisa.

Os esforços realizados durante um período tão difícil como a pandemia e a reestruturação das finanças do estado começam a dar frutos visíveis para a população. A rede de saúde se provou competente e resiliente diante dos últimos desafios. Agora, o Rio de Janeiro está mais perto de seguir adiante, superar a pandemia e avançar em políticas públicas de cuidado a quem mais precisa.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui