Colégio Santo Inácio afasta professores após denúncias de assédio

Pátio interno do Colégio Santo Inácio, conhecido como Pátio do Sino

Tido como uma das instituições de ensino mais conceituadas do Rio de Janeiro, o Colégio Santo Inácio afastou dois professores após denúncias de assédio feitas por alunos nas redes sociais. As acusações contra docentes do colégio localizado em Botafogo, na Zona Sul, partiram de alunas e ex-alunas que, desde o início do mês, cobraram a apuração das publicações.

No entanto, segundo informações obtidas pelo DIÁRIO DO RIO, as denúncias de abuso sexual no Santo Inácio vem ocorrendo desde o mês de março e só agora vieram a tona.

Diante do caso, pais das estudantes, alunos e ex-alunos se mobilizaram para exigir um posicionamento do colégio. A direção do Santo Inácio se manifestou pela primeira vez no dia 4 deste mês.

No comunicado, o colégio informou que as denúncias que chegam à administração sempre foram e sempre serão “investigadas a fundo, assim como os autores de condutas irregulares comprovadas são e serão punidos“.

Na mesma nota, a escola anunciou a criação de um canal de ouvidoria para receber mais informações. A cobrança dos pais continuou, relatando que a escola foi “omissa” em relação a denúncias de assédio feitas no passado.

Em uma mensagem enviada na última quarta-feira (10/06), a direção da escola reconheceu erros na apuração de fatos no passado e afirmou ter se redimido. Na sexta-feira (13/06), mais uma carta foi divulgada, dessa vez para anunciar medidas concretas, como a criação de um canal de ouvidoria independente para receber todas as denúncias.

Veja a íntegra da nota divulgada pelo Colégio Santo Inácio na última quarta-feira (10/06).

Queridos alunos, antigos alunos, familiares e colaboradores,

Vimos hoje, através desta carta, declarar nosso profundo pesar diante das manifestações que nos têm chegado nas últimas semanas. Não queremos escrever a vocês de forma protocolar, como mais um comunicado oficial, mas com a humanidade que nos une em sofrimento, humildade e garra para lutar pelo bem maior. Todas as lógicas baseadas em divisão e exclusão (nós x eles, gênero x gênero etc), que têm imperado na sociedade em geral, como vocês apresentam, atingem e machucam a todos, mulheres e homens, independentemente do cargo, função ou situação em que se encontrem, em qualquer lugar.

Neste momento que estamos atravessando, queremos, antes de tudo, nos solidarizar com todos e com cada um. Para o presente e o futuro nos cabe agir. Para momentos idos, mencionados em relatos que nos chegam agora, em que não fomos diligentes o suficiente, ou que nossa atenção estava em cumprirmos nossas funções cotidianas, e a escuta não foi a esperada, nos redimimos, embora sempre tenhamos procurado escutar a todos, pois a todos é dado o direito de voz. Como vocês, também podemos não ter compreendido alguns sentimentos, misturados aos esperados nas diversas faixas etárias, que nos chegavam às vezes de forma confusa e contraditória. Mas, concordamos, se já se apresentavam como desconfortos, mereciam mais tempo, atenção e apuro.

No entanto, acreditamos que, mesmo na desolação, há espaço para luz e aprendizado. E nesse sentido, queremos agradecer a vocês e pedir que nos ajudem a construir esse sonhado mundo melhor, de justiça, fraternidade e solidariedade, a começar pelo CSI, mas também alcançando outros lugares em que estivermos estudando ou trabalhando.

As estruturas e organizações sociais estão cada vez mais nas mãos de mulheres que conquistaram seu espaço numa luta que vem de décadas. Olhar com Amor esse cenário de conquistas por igualdade nos enche de orgulho e coragem para superar os desafios de nossa geração na qual todos, homens e mulheres, precisam de apoio e respeito.

Hoje, o CSI conta, em seus quadros de gestão, com um número cada vez maior de mulheres, que alcançaram essas funções com esforço, muitas lutas e dedicação. É a diversidade que se concretiza. Rompemos barreiras! E essas mulheres também querem estar com vocês nessa missão. As alunas, há três anos, propuseram a criação de um coletivo feminino CSI, que foi prontamente acolhido pelo colégio, no qual discutimos muitas questões relacionadas ao nosso papel na sociedade, com vídeos, palestras e conversas. Vamos avançar e crescer juntos!

Nosso compromisso com vocês, hoje, direção, coordenações, orientações e professores, é fazer do CSI cada vez mais um lugar de acolhimento, de escuta, de justiça e real formação inaciana. Comprometemo-nos de que continuaremos a fazer dele a segunda casa de todos aqueles que frequentaram, frequentam e frequentarão suas salas, corredores e pátios, e estarão, ao sair, com seus rostos sorridentes estampados em cada quadro de nossas paredes.

Nesse sentido, estamos elaborando propostas concretas que, quando apresentadas, esperamos contar com sugestões, também concretas, de todos vocês. Nesse sentido, continuamos a acolher as propostas que nos têm chegado por diversos canais de comunicação do colégio.

Confiem em nós!

Advertisement

4 COMENTÁRIOS

  1. Fui aluna desse colégio do jardim até o terceiro ano do ensino médio. Nunca houve nada disso, no meu tempo. Não digo que seja impossível, mas posso afirmar que SE for verdade é um professor isolado e da nova geração.

  2. Bom dia,
    deveria ter um canal/ disque assédio para a população em geral fazer essas denúncias, pois ocorrem em muitas instituições de ensino do básico ao universitário. isso é mt sério

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui