Cadeg - Rio de Janeiro - Foto: Reprodução/Internet

Em meio à pandemia que estamos vivendo, mesmo diante de todas as recomendações do Poder Público acerca da importância do isolamento social como forma de tentar conter a proliferação do Coronavírus na cidade, alguns locais ainda apresentam aglomeração de pessoas.

Neste final de semana, que marcou, no domingo (10/05), o Dia das Mães no país, o Mercado Municipal do Rio de Janeiro (Cadeg), localizado em Benfica, na Zona Norte, por ser um local ”referência” em artigos de floricultura e cestas de café da manhã, por exemplo, acabou recebendo uma quantidade de clientes maior do que o recomendado pelas autoridades de saúde.

E, para piorar a situação, as pessoas aproveitaram a oportunidade para sentar à mesa dos bares/restaurantes do local, que, embora não sejam estabelecimentos considerados essenciais, estavam abertos. O flagra foi publicado pelo instablog @oquefazernorio.

Vale lembrar que essa não é a primeira ocasião de aglomeração de pessoas na cidade em meio à pandemia. No final de abril, a Mureta da Urca e o calçadão da Praia de Ipanema, por exemplo, ambos na Zona Sul, também tiveram flagrantes de movimentação exacerbada mesmo diante de todo o apelo devido à situação. Além disso, no feriado do Dia do Trabalhador (01/05), houve movimentação de banhistas e surfistas nas praias de Grumari e Prainha, na Zona Oeste.

Cadeg se justifica

Em relação ao Cadeg, o mercado se pronunciou, através de nota oficial, justificando o ocorrido neste final de semana. Confira, na íntegra.

”O Centro de Abastecimento do Estado da Guanabara – Cadeg se desculpa pelo aumento do fluxo de pessoas registrado neste fim de semana de Dia das Mães, já que é o maior entreposto comercial de flores e plantas do Rio, além de ter, em sua maioria, lojistas que comercializam itens de primeira necessidade. Este movimento, atípico desde o início da pandemia, levou alguns restaurantes a acomodarem clientes no exterior do estabelecimento de forma pontual, enquanto eles aguardavam o delivery.

O Cadeg esclarece que, desde o início da pandemia, seus bares e restaurantes se reinventaram para atender apenas com entregas em domicílio, serviço que não existia antes. E que mantém abertos somente os estabelecimentos que vendem itens essenciais de abastecimento, além de seguir rigorosamente os protocolos de segurança sanitária. Mais uma vez, o Cadeg se desculpa pelo ocorrido e reforça que já orientou estes restaurantes para que continuem seguindo as orientações das autoridades de saúde até que consigamos vencer a pandemia em nosso estado.”



Toda manhã o resumo do Rio de Janeiro

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui