Com lançamento em dezembro, livro homenageia Cabelada, icônico árbitro da história do futebol carioca

''Todo Juiz é Ladrão, Cabelada Não'', de autoria de Leandro Araujo, será lançado no dia 11/12 em bar em Vila Isabel; livro aborda a vida e carreira de Luiz Carlos Gonçalves, conhecido por sua irreverência dentro e fora de campo

Livro ''Todo Juiz é Ladrão, Cabelada Não'', de autoria de Leandro Araujo - Foto: Divulgação

No próximo dia 11/12, às 13h, será lançado no Rio de Janeiro um livro em homenagem a um dos árbitros mais icônicos da história do futebol carioca. A obra, intitulada de ”Todo Juiz é Ladrão, Cabelada não!”, é de autoria de Leandro Araújo e aborda a vida e carreira de Luiz Carlos Gonçalves, conhecido por sua irreverência e extravagância dentro e, principalmente, fora das 4 linhas nas décadas de 70 e 80.

Para fazer jus ao estilo de vida boêmio do ex-árbitro, o lançamento acontecerá no Boteco Petisco, antigo ”Petisco da Vila”, em Vila Isabel, na Zona Norte da capital fluminense, que era um dos bares preferidos de Cabelada, seu apelido popular.

O livro tem prefácio de Nei Lopes e orelha de Toninho Geraes e Moacyr Luz. De acordo com o autor, ”é o Rio de Janeiro de Castor de Andrade, do velho Maraca – ainda sem o VAR – Euricos Mirandas e Caixas D’Águas”.

”É um livro de crônicas que conta histórias do Cabelada, da carreira como apitador e da vida boêmia. É também uma grande desculpa para sobre um Rio de Janeiro de uma época”, diz Leandro Araujo.

”Ele sempre será o inesquecível Cabelada. Para quem vier a conhecê-lo por este excelente livro de Leandro Araújo, a melhor definição é a de que vislumbramos um Macunaíma do Rio, o admirável herói sem caráter”, complementa o também escritor Paulo-Roberto Andel.

Cabelada em sua época de arbitragem e, ao lado, demonstrando sua irreverência fora de campo – Fotos: Divulgação

Vale mencionar que uma das características mais marcantes de Cabelada, além do visual característico (cabeleira chamativa, bigode grosso e barriga saliente), era o fato de gostar de beber antes e/ou depois dos jogos, mesmo que fossem partidas de caráter decisivo.

”Se um dia alguém ousar desafiar e vociferar que todo juíz é ladrão, a resposta deve estar na ponta da língua: ‘Cabelada não’! Porém, é importante ressaltar que, com Cabelada, tudo pode ser claro, menos a regra. Para ele, era mais importante deixar o povo feliz”, finaliza Leandro Araujo.

Cabelada recentemente, sem deixar a vida boêmia de lado – Foto: Reprodução

SERVIÇO

Lançamento do livro ”Todo Juiz é Ladrão, Cabelada Não”

  • Data: 11 de dezembro de 2021 (sábado)
  • Horário: 13h
  • Local: Boteco Petisco (antigo Petisco da Vila)
  • Endereço: Boulevard 28 de Setembro, 238 – Vila Isabel – Rio de Janeiro/RJ
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui