Com novos restaurantes e lojas, Copacabana volta a valorizar

Copacabana tem recebido sucessivas inaugurações de novos negócios, demonstrando grande pujança comercial

Última pesquisa da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) trouxe boas notícias para o bairro de Copacabana. Os números apontaram que mesmo com a inflação em alta, as pessoas recorreram ao crédito imobiliário para comprar imóveis residenciais e comerciais, havendo um aumento considerável nas transações imobiliárias no bairro em relação aos últimos anos.

Ao analisar a participação dos principais bairros da Zona Sul referente às vendas acumuladas ao longo do ano passado, o crescimento registrado foi de 62% em relação ao mesmo período de 2020, somando 8.834 unidades. E o bairro com maior participação no total de transações foi Copacabana com 25,4% das vendas. Esse Percentual foi bem superior a Botafogo e Flamengo que aparecem logo em seguida com 12,9%.

Thiago Araújo, empreendedor que tem tido grande sucesso em Copacabana


No mercado dos imóveis comerciais muita coisa nova vem ocorrendo no Bairro. A emblemática venda da loja do antigo Café del Mar, na Avenida Atlântica, que noticiamos aqui, foi também um divisor de águas. Logo depois, exatamente ao lado do imóvel – que se encontra em obras do que aparentemente será um restaurante – foi alugada uma loja fechada há anos para um banco cooperativo (o Sicoob). Também se seguiram a abertura da nova loja de um aplicativo de delivery no Edifício Jordan, e sucessivas inaugurações têm sido realizadas e anunciadas, de imobiliárias a lojas de departamento e supermercados.

O empresário Thiago Araújo é um dos empreendedores de Copacabana que ampliou seus negócios no último ano. Em 2019, na Rua Duvivier, ele inaugurou seu primeiro bar no bairro, o ‘Pink Flamingo’, um espaço onde o cliente pode sentar-se, tomar um drink, comer e dançar em uma pista de dança sempre com apresentações de DJ ‘s. O espaço foi sucesso imediato, casa cheia todas as noites e com um retorno financeiro que logo cobriu o investimento e começou a dar lucro. O crescimento exigiu a mudança para um local maior em 2021, e, por conta da boa demanda, Thiago precisou comprar um espaço que comportasse a demanda de público, daí veio a mudança para a Rua Rodolfo Dantas, 16.

Além do “Pink Flamingo”, o empresário tem outros três bares em Copacabana: “Rainha de Copas”, “Black Cat” e “QG Pub”. Este último inaugurado em maio de 2021 e que já precisou passar por uma reforma completa para ampliar o espaço, onde recebeu uma festa privada no último Réveillon.

Continuo investindo na região, pois sou um apaixonado por Copacabana e vejo diariamente a recuperação do charme e da segurança que sempre estiveram presentes por aqui. Copacabana ainda é o local preferido de turistas de todo país e do mundo. O crescimento constante dos bares reflete isso“, afirma o empresário.

Outros empresários seguem investindo no bairro e mais um restaurante grande deve também ser inaugurado, ao lado do Hotel Fairmont, onde antes funcionavam os decadentes restaurantes Pigalle e Imperator, na esquina com a Rua Joaquim Nabuco. O novo quiosque do hotel na orla, o Tropik, tem causado frisson, pois funciona também como beach club.

Reclamações de moradores sobre abandono do bairro, porém, ainda persistem

O bairro de fato tem recebido uma quantidade enorme de inaugurações e investimentos de empresas privadas, mas seus moradores seguem preocupados com a situação dos moradores de rua e pedintes, assim como os furtos de peças metálicas que acabam receptadas pelos ferros velhos da região, e até o surgimento de uma nova favela. Uma grande operação da Secretaria de Conservação restaurou recentemente o calçadão tombado de Roberto Burle Marx na orla, mas o bairro ainda enfrenta problemas em alguns locais, como a já famosa – e infame – esquina do terror, na Hilário de Gouvêia, que denunciamos aqui.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui