Comerciantes do Centro preparam dossiê sobre cobranças indevidas para entregar à Águas do Rio

Dossiê vai conter reclamações sobre cobranças excessivas, feitas por estimativa, discrepância de valores, contas exorbitantes de imóveis fechados e até de matrículas que estão suspensas

Foto: Divulgação/SindRio

Comerciantes do Centro levarão à empresa Águas do Rio, que assumiu no fim de 2021 a distribuição hídrica na cidade, um dossiê com reclamações sobre cobranças excessivas, feitas por estimativa, discrepância de valores, contas exorbitantes de imóveis fechados e até de matrículas que estão suspensas.

Nesta quinta-feira (04/08), comerciantes que têm se mobilizado por melhorias para o Centro se reuniram na tradicional Confeitaria Manón, na Rua do Ouvidor, para discutir a preparação do dossiê sobre esta disparada nas contas de água dos imóveis comerciais da região, que será entregue ao secretário estadual de Defesa do Consumidor, Rogério Amorim, visando a solucionar urgentemente esta questão.

Participaram da reunião desta quinta-feira, Sérgio Obeid, atual presidente do Polo Saara; Luís Eduardo Carneiro, presidente do Polo de Confeitarias Tradicionais; Maria Izabel Castro, do Palácio das Ferramentas; Fabíula González López, da Confeitaria Manon; Leonardo Silva, administrador de imóveis; Luiz Antônio Baptista, o BAP, da rádio Saara; Jorge Van Erven, da Terra Nossa; José Mohamed e Bianca Mohamed, do Bar do Elias. O superintendente da secretaria de Governo do Estado, Luiz Cláudio Vasques também esteve presente.

Com apoio do SindilojasRio e do CDLRio e de outras entidades do comércio, como Saara e Sarca, além dos polos das Confeitarias Tradicionais, da Praça XV, da Praça Mauá e Rio Antigo, os comerciantes têm se reunido com representantes das diferentes esferas do poder público para discutir e propor ações destinadas à revitalização e resolução de problemas do Centro do Rio.

Advertisement

8 COMENTÁRIOS

  1. Desde fevereiro venho sofrendo cobranças diárias por consumo de água de um terreno vendido em 2019 e onde, desde agosto de 2021, encontra-se construído e com habite-se um condomínio com mais de 180 apartamentos. Depois de várias tentativas de contato consegui falar com alguém que simplesmente me disse que a nova concessionária simplesmente listou os CPFs do cadastro da CEDAE e mandou cobrança para todo mundo e, quem não quisesse pagar que fizesse a reclamação. Já os informei que NÃO VOU PAGAR e estou implorando que entrem com uma ação de cobrança contra mim … O resto resolvemos no TJRJ.

    • Piorou pois na CEDAE pelo menos o lucro ia para o Estado ajudar a resolver os problemas financeiros e agora vai para os bolsos de alguns!!
      Privatização é isso!! Tira do povo e é embolsado por alguns!! Terem privatizado a água foi um dos grandes absurdos desse “desgoverno” estadual!!

  2. Discordo do comentário de cima parte do meu bairro está sem água a 5 meses e hidrômetro marca leitura anterior 605 leitura atual 605 ou seja sem consumo mais querem que eu pague 174,00 x 5… Ganho me salário honestamente e não é para sustentar as pilantragens da Rio Águas… Meus vizinhos pagam e não tem uma gota…nada mudou tudo farinha do mesmo saco

    • Exatamente… até junho estava ok o abastecimento,agora em julho simplesmente cortaram o fornecimento e com a conta em dia… já fiz várias reclamações e sempre alegam obras e alto consumo como justificativa. Vou entrar com processo pois água e serviço essencial!!

  3. Essas reclamações têm de ser vistos com muito cuidado. Eu duvido muito dessas reclamações, ainda mais numa mudança de chave pra iniciativa privada. Primeiro, cobrança por estimativa a CEDAE sempre fez: nunca reclamaram disso. Provavel que não reclamassem porque nem cobrança recebiam. Quando passam a ser cobrados, ficam tristes. Cobranças de valores e discrepâncias devem ser questionadas com o hidrômetro, que faz pleno sentido e é direito deles. Mas o que devia haver de hidrômetro velho, de 40 anos, marcando quase nada… imagina só quando põem um hidrômetro novo!? Começa a marcar certo. E marcar certo significa pagar conta. E aí ficam tristes. Cobrança de matrículas suspensas: é direito e justo reclamarem com até processo. Mas em termos fáticos, acreditam que o banco de dados da CEDAE veio bonitinho pra Águas do Rio? hahahah!! Deve ter vindo tuuuudo zicado.

    A concessionária está sendo cobrada a resolver em poucos meses a pilha de 50 anos de gestão ruim da CEDAE. Tenham paciência. Processem o que deve ser processado, mas não deveriam conspurcar a concessionária nova. Ela merece palmas de pé por ter aceito esse ROJÃO que é trabalhar e fazer negócios no Rio de Janeiro.

    E quanto mais as concessionárias entregarem, mais deveremos desprezar e pisar em cima do legado da CEDAE, essa sim foi uma empresa desgraçada que nos impôs sujeira e degradação do meio ambiente por mais de 50 anos.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui