Daniela Pereira - foto: Rodrigo Azevedo

O Centro do Rio nunca mais foi o mesmo desde a chegada do Covid-19. Entre lojas fechadas e pouca movimentação pelas ruas, é possível encontrar os sobreviventes. Entre os estabelecimentos, que mesmo com dificuldades permanece em funcionamento está o histórico Rei dos Galetos, a Confeitaria Colombo e o Bar Amarelinho.

Durante a pandemia, o restaurante que chegou na região em 1967 precisou se reinventar para permanecer aberto, sem corte de funcionários e com expectativas de dias melhores. Mas mesmo com tantos desafios, a terceira geração se faz presente nas novas ideias implementadas por Daniela Pereira, de 33 anos, neta do Sr. Celestino, que hoje é a primeira mulher inserida na gestão do negócio.

Para manter vivo os quase 54 anos de história do Rei dos Galetos, Daniela implementou aulas, cursos e jogos dinâmicos, na rotina da casa, que vão desde palestras sobre política e economia, aulas de boas práticas, passando pelo serviço de excelência. Além disso, o restaurante implementou opções mais acessíveis no cardápio e precisou implantar o delivery, tão usual em tempos de pandemia.

Mas ainda nesse momento, a equipe está afinadíssima com o “novo normal”. Todos de máscara facial e face shild, além das manobras de higienização, como troca de máscara dos funcionários, cardápio via QR Code e o distanciamento entre as mesas, que está sendo severamente respeitado.

Costa do mar, do Rio, Carioca, da Zona Sul à Oeste, litorânea e pisciana. Como peixe nos meandros da cidade, circulante, aspirante à justiça - advogada, engajada, jornalista aspirante. Do tantã das avenidas, dos blocos de carnaval à força de transformação da política acreditando na informação como salvaguarda de um novo tempo: sonhadora ansiosa por fazer-valer!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui