Foto: Divulgação

Nesta quarta-feira (23/06), a Comissão de Esportes da Câmara visitou as instalações do Parque Olímpico para entender por que a Arena de Handbol será desmontada, conforme publicado no Diário Oficial da última terça-feira, através de um aporte de 78 milhões de reais.

Acompanhada do secretário de Esportes Guilherme Schleder, a Comissão entrou na Arena, que custou 228 milhões de reais e está sem iluminação e sem manutenção. A piscina utilizada na Olimpíada de 2016 foi desmontada e está à espera de um destino desde então. A prefeitura de Maricá analisa uma forma de levá-la para lá, mas o custo é muito alto.

Segundo o secretário, a desmontagem da arena já estava prevista, mas acabou não sendo feita. De acordo com o planejamento, o material será usado para a construção de quatro escolas na Zona Oeste.

Quando assumimos a prefeitura, fizemos um levantamento das estruturas, notamos que o procedimento não tinha sido feito. Refizemos o orçamento e publicamos a chamada para a licitação. Como o terreno pertence à Rio Mais, será administrado pela iniciativa privada“, explicou Guilherme Schleder.

Felipe Michel, presidente da comissão, que já tinha feito diligências nos locais que sediaram os Jogos em 2017, afirmou que continuará cobrando: “A prefeitura está tentando corrigir um erro do passado. Isso já teria que ter sido feito, mas não houve planejamento. Não era pra gente estar comemorando a construção de quatro escolas, e sim de dez. Nós da Comissão de Esportes estaremos acompanhando de lupa para saber se esse dinheiro será usado conforme o previsto. Infelizmente teremos que esperar mais dois anos para ver este legado“.

Recentemente, o vereador Felipe Michel foi entrevistado pelo DIÁRIO DO RIO e falou sobre o legado olímpico. Confira:

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui