Foto: Reprodução

A Comissão de Transportes da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) enviou um ofício ao Ministério Público Estadual (MPRJ), nesta quarta-feira (01/09) pedindo a apuração das causas dos constantes atrasos em linhas de trens da SuperVia. A comissão também irá oficiar a própria concessionária para que explique quais medidas de segurança estão sendo tomadas, para que os atrasos sejam evitados.

Nos dois primeiros dias desta semana na segunda-feira (30/08) e na e terça-feira (31/09), os trens do ramal Japeri, que vai da Central do Brasil, no centro da cidade do Rio de Janeiro, até Nova Iguaçu, município da Baixada Fluminense, circularam com intervalo maior que o usual. De acordo com a concessionária, os atrasos se devem ao furto de cabos e equipamentos de sinalização.

De acordo com o documento elaborado pela Alerj e protocolado na 4ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva De Defesa do Consumidor e do Contribuinte do MPRJ, a comissão relata que “se trata de uma sucessão de problemas, há tempos ocorrendo em face da população e que, neste sentido, se tem atrasos, paralisações de composições por falta de manutenção e peças, redução do número de funcionários na empresa, e assim causando prejuízos aos trabalhadores incalculáveis”.

Para o presidente da comissão, deputado Dionisio Lins (PP), o fato de a concessionária não ter um plano de emergência para atuar em conjunto com as empresas de ônibus, para que estas transportem passageiros nestas situações emergenciais, não é justo. O parlamentar também questionou a atuação da SuperVia diante dos recorrentes furtos.

Sabemos que o roubo de cabos já virou uma rotina, tanto na SuperVia como no metrô. Vamos cobrar as medidas que a empresa irá tomar, para ao menos minimizar a situação. Por que eles não solicitam à Polícia Militar que atue de forma mais presente ao longo da via que margeia as estações? A empresa poderia também fazer um levantamento das áreas com maior incidência de furtos, além de intensificar a segurança de sua malha ferroviária não só com rondas, como também com o uso de drones, durante o dia e à noite para tentar identificar essas quadrilhas”, acrescentou Dionisio.

Costa do mar, do Rio, Carioca, da Zona Sul à Oeste, litorânea e pisciana. Como peixe nos meandros da cidade, circulante, aspirante à justiça - advogada, engajada, jornalista aspirante. Do tantã das avenidas, dos blocos de carnaval à força de transformação da política acreditando na informação como salvaguarda de um novo tempo: sonhadora ansiosa por fazer-valer!

1 COMENTÁRIO

  1. O Sr. Dionísio Lins quer responsabilizar a empresa pelo roubo de cabos!? “Vamos cobrar as medidas que a empresa irá tomar. (…) Por que eles não solicitam à Polícia Militar que atue de forma mais presente (…) A empresa poderia também fazer um levantamento das áreas com maior incidência de furtos (…) intensificar a segurança de sua malha ferroviária não só com rondas, como também com o uso de drones (…)”

    Sério… com um deputado destes, não dá pra ser mais “ALERJÊNICO”. O cara tá de brincadeira, vomitando baboseiras e tirando o dele da reta… Queria xingar muito, mas aí o post seria cortado. O deputado é empregado justamente para FISCALIZAR o executivo. ELE é o cara que devia estar junto da concessionária cobrando – e não tentando enquadrar a concessionária que já está em Recuperação Judicial.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui