Fernando Ferry, atual secretário estadual de Saúde do RJ - Foto: Reprodução/Internet

Na próxima quinta-feira (18/06), será realizada pela comissão da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) que fiscaliza os contratos estaduais sanitários referentes ao combate ao Coronavírus uma sessão para ouvir o que tem a dizer o atual secretário de Saúde do RJ, Fernando Ferry. De acordo com a deputada Martha Rocha (PDT) – pré-candidata à prefeita do Rio -, que preside o ”comitê”, a presença de Ferry na audição é obrigatória.

Além dele, serão ouvidos também, em outros dias ainda a serem marcados, o ex-secretário Edmar Santos e um representante do Instituto deAtenção Básica e Avançada à Saúde (Iabas), cujo contrato para a construção de hospitais de campanha no RJ é o principal alvo de denúncias de corrupção, que abrangem, inclusive, o governador Wilson Witzel – a Alerj autorizou abertura do processo de impeachment contra ele.

Segundo Martha Rocha, na próxima semana a comissão receberá documentos solicitados ao estado referentes aos contratos firmados durante a pandemia. Ainda de acordo com a parlamentar, Witzel teria, no início da crise de saúde no RJ, tentado impedir a abertura da comissão fiscalizadora, o que foi mal visto entre os deputados da Alerj.

Deputada Martha Rocha, presidente da comissão da Alerj – Foto: Lucas Moritz

”O quadro é grave na área da saúde, houve a prática de inúmeras irregularidades. Quero lamentar aqui que a existência dessa comissão, indicada na lei que autorizou o estado de calamidade pública, foi o único artigo vetado pelo governador. Mas ela foi instaurada quando o projeto retornou para a análise dos vetos.Foi um péssimo sinal dado pelo Governo do Estado, que deveria zelar por ferramentas de controle e transparência”, disse Martha.

Já o relator da comissão, Renan Ferreirinha (PSB), contou que, na próxima semana, a comissão já deve apresentar um relatório a respeito dos hospitais de campanha, que se baseará em informações dos contratos e documentos e, também, em vistas de campo. Segundo o deputado, as comissões fiscalizadora e especial, que analisará a pertinência da denúncia de impeachment, ”andarão juntas”.

Deputado Renan Ferreirinha, relator da comissão – Foto: Julia Passos

”Tem o processo de impeachment e, paralelamente essa comissão vai trazer à tona muitas irregularidades”, diz Ferreirinha, que é um dos autores dos pedidos de impeachment protocolados na Alerj.

1 COMENTÁRIO

  1. Por favor chamem a Cidinha Campos para fazer perguntas pertinentes aos secretários de saúde com certeza ela vai tirar a verdade deles sem constrangimentos

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui