Foto: Thiago Lontra/Alerj

A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) deu posse, neste sábado (01/05), ao governador Cláudio Castro (PSC), para exercer o mandato até dezembro de 2022. A cerimônia ocorreu no dia seguinte ao impeachment do ex-governador Wilson Witzel, destituído do cargo por crime de responsabilidade pelo Tribunal Especial Misto. Castro foi eleito vice-governador do Rio nas eleições de 2018 e atuava como interino desde o afastamento de Witzel em agosto de 2020.

Na abertura da sessão solene, foi feito um minuto de silêncio em memória das vítimas da pandemia da covid-19. O presidente da Alerj, deputado André Ceciliano (PT), reforçou a importância da união entre os Poderes da República em prol da sociedade fluminense, no momento em que o estado bate recordes negativos: o Rio de Janeiro tem um dos maiores índices de desempregados do Brasil e registrou, em abril, o maior número de mortes por covid em um mês desde o início da pandemia.

Essa situação só mudará se houver a união de todos. Da sociedade civil organizada, dos estados, dos municípios, do governo estadual, prefeituras, poderes legislativo e judiciário, e também do governo federal“, afirmou.

Após ter levantado o tom com Castro e aliados antes do Leilão da Cedae, tendo dito que o governador estava ameaçando os deputados, na posse Ceciliano mudou o tom para um mais conciliador: “Mais do que um aliado, você tem aqui um amigo

E ganhou uma resposta do agora governador Claudio Castro em seu pronunciamento: “A semana que passou, senhor presidente, marcada por divergências, hoje faz parte do passado. E a cada passagem, cada um de nós sai com um aprendizado. É assim que eu encaro o mundo, sempre olhando para a frente.”

Em seu discurso de posse, Castro também lamentou as mais de 43 mil vidas perdidas com a pandemia e destacou a necessidade de uma boa relação como Legislativo.

A população exige um governo sólido, sustentável, de diálogo; um governo que estimule a geração de empregos, que ofereça saúde e segurança; que invista na educação dos nossos jovens e que trabalhe em conjunto com todos os poderes“, disse.

O governador anunciou compromissos de sua gestão, citando a disposição de ampliar a imunização da população contra a covid-19 e o número de leitos nos hospitais. Também se comprometeu com um “pacto pela recuperação econômica”. Afirmou que pretende iniciar este mês o pagamento do auxílio emergencial aprovado pela Alerj, Supera Rio, e anunciou o lançamento do programa de segurança pública Bairro Seguro.

União de esforços pelo Rio de Janeiro

Foto: Thiago Lontra/Alerj

Ainda em seu discurso, o presidente Ceciliano destacou os esforços da Alerj para apoiar o estado, como a devolução de R$1,5 bi para o Estado investir em áreas prioritárias, como Saúde, Segurança e Educação e a aprovação do auxílio emergencial Supera Rio. O parlamentar também lembrou a importância de o Governo Federal apoiar os esforços de desenvolvimento do estado e aproveitou para reforçar, num pedido ao ministro da Economia Paulo Guedes, a necessidade de renovação do Regime de Recuperação Fiscal em condições mais favoráveis do que as previstas na Lei Complementar 178.

“De 2017 até 2020, quando o regime deveria ter sido renovado, o Rio conseguiu aumentar a sua receita em 18% e reduzir suas despesas com pessoal em R$ 1,1 bilhão. Entretanto, isso não garantiu a renovação do acordo”,finalizou.

Trajetória política

Filiado ao PSC, o governador Cláudio Castro tem 42 anos, é advogado, católico e autor de dois álbuns de música religiosa. Castro entrou na política em 2004, quando foi chefe de gabinete do então vereador e hoje deputado Márcio Pacheco (PSC).O deputado presenteou o governador com uma réplica de brinquedo do Celta azul alugado que Castro usava em suas campanhas no início da vida política.

Com mesma habilidade que dirigia este celtinha há 20 anos, Vossa Excelência tem agora que dirigir com a mesma maestria o estado do Rio de Janeiro. Vossa Excelência é um grande motorista. Tenho muito orgulho porque continuo sentado do seu lado, agora quando o senhor vai dirigir não o celtinha mas o estado do Rio de Janeiro.s”, disse.

Castro se elegeu vereador, em 2016, com 10.262 votos e assumiu seu primeiro mandato na Câmara Municipal do Rio. Em 2019, com 40 anos, Castro foi empossado como mais jovem vice-governador fluminense da história.

Participaram da cerimônia, além de parlamentares estaduais e federais, o presidente do Tribunal de Justiça do Estado (TJRJ), desembargador Carlos Henrique Figueira; o presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Rodrigo Melo do Nascimento; os secretários da Casa Civil, Nicola Miccione, de Governo, André Lazaroni, e de Justiça, Sérgio Zveiter; entre outras autoridades

https://diariodorio.com/web-stories/a-trajetoria-do-governador-claudio-castro/


Toda manhã o resumo do Rio de Janeiro

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui