Complexo turístico hoteleiro é lançado em Maricá com conceito de Smart City

A obra vai levar 14 anos para ficar pronta e tem previsão de receber 450 mil turistas diretos e indiretos. O empreendimento impactará não apenas o turismo do estado do Rio, mas de todo o Brasil.

Foi lançado, em Maricá, município localizado na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, um complexo turístico hoteleiro que promete agitar a cidade. Batizado de ‘Maraey’, os hóspedes poderão escolher a vista para os 8,5 km da praia ou para a Lagoa, que tem 12,3 km. E tem ainda a vista para a serra de Maricá. O projeto terá centro comercial e cerca de oito mil casas e apartamentos de altíssimo padrão. Com visitação anual prevista de 450 mil turistas diretos e indiretos, impactará não apenas o turismo do estado do Rio de Janeiro, mas de todo o Brasil.

Maraey é a prova de que sustentabilidade, luxo e desenvolvimento econômico são plenamente compatíveis. Localizado em área de proteção ambiental (APA), somente 6,6% de seus 844 hectares vão ser utilizados em edificações. Serão preservados perpetuamente 440 hectares de toda sua área, a 2ª maior RPPN (Reserva Particular de Patrimônio Natural) de restinga do Estado do Rio de Janeiro e a 5ª do país. Além da certificação BIOSPHERE, Maraey conquistou o Prêmio de Liderança do US Green Building Council 2021.

Smart City

Concebido como smart city, Maraey contará com infraestrutura de tecnologia da informação: edifícios inteligentes, uso equilibrado de energia e recursos naturais, uso prioritário de modal elétrico para transporte, com pontos de conexão para recarga, iluminação à base de energia sustentável, fachadas dinâmicas e telhados verdes, tudo com vistas à minimização do impacto ambiental. Pela complexibilidade da construção, o empreendimento demandará 14 anos para ficar pronto. Serão investidos entre 11 e 12 bilhões de reais. Depois de pronto, gerará mais de 30 mil empregos diretos.

A obra contemplará dois resorts, um deles sob a bandeira Rock in Rio, um hotel boutique e um golf clube hotel, além de uma hípica. Seu início está previsto para o final de 2021.

No lançamento, em lugar da pedra fundamental, foi plantada a “árvore fundamental”, cujo nome científico, clusia fluminensis, homenageia todo o Estado do Rio de janeiro e caracteriza a vocação preservacionista de Maraey.

Se você gosta de matérias e dicas sobre viagem e turismo, segue o Instagram desta coluna @dorioprorio_ddr

Renata Granchi é jornalista e publicitária com mestrado em psicologia. Passou pela TV Manchete, TV Globo, Record TV, TV Escola e Jornal do Brasil. Escreveu dois livros didáticos e atualmente é diretora do Diário do Rio. Em paralelo, presta consultoria em comunicação e marketing para empresas do trade.
Advertisement

13 COMENTÁRIOS

  1. Morei em Maricá durante 3 anos e meio, vi a cidade crescer e muitas obras serem feitas, porém a cidade já conta + ou – com 175.000 abitantes, isso é bom e ruim também, chegam pessoas boas e junto pessoas ruins, já existe tráfico e muitos assaltos principalmente em Itaipuaçu, em São José Imbassaí tem uma comunidade chamada “Linha” que começa a ficar violenta, devido traficantes de São Gonçalo já estarem frequentando, então Prefeito Horta, providências para que a coisa não descambe para pior, urgente trazer um batalhão da PM para Maricá o progresso vem junto com a violência.

  2. O PT atraiu por acaso algumas indústrias multinacionais para Maricá é um pólo de educação e tecnologia? ( do tipo vale do silício, etc) ou o fruto dessa ” Boa administração ” se dá pelo fato do campo de exploração do Pré-sal ficar em frente ao litoral de Maricá (Royalties do Petróleo). Agora se der um Google vai encontrar diversos maus feito sendo cometidos com esse dinheiro do Royalties.

  3. Realmente, tem muitas coisas bonitas aqui em Maricá, mas o básico que deveria ter não tem. O tempo que pensa em fazer coisas luxuosas pra atrair turista porque não cuida primeiro de Maricá por completo. Tem um monte de ruas sem asfalto e esgoto, a orla da praia de Itaipuaçu somente uma parte está arruma e iluminada de resto está tudo as escuras, as ruas se vc andar de noite muitos trechos sem luz propício pra ser assaltada, água enganada somente três vezes na semana isso quando caí, um asfalto que sabe-se lá de que é feito porque cada chuva que cai as ruas ficam de buraco até não aguentar mais, quando chove as ruas sem asfalto ficam horríveis pra sair de casa tudo uma lama só… Com tantas coisas pra fazer querem só pensam em fazer dinheiro e o povo que mora aqui que espere. Eu moro aqui a 3 anos e vejo tudo isso imagine quem mora aqui a mais tempo.

  4. Tenho muito orgulho do crescimento da cidade, mas acabar com uma área tão bonita, acessível e única para algo particular e maquiado de sustentável é triste demais.. estão desmatando toda cidade, destruindo margens naturais e interferindo naquela natureza ímpar em nome de dinheiro. Nada de novo sob o mesmo sol ?

  5. Estive em Maricá há um ano atrás +- e fiquei muito empolgada com o que vi. Tudo diferente prá melhor , muito organizado com iluminação nas ruas, ciclovia pela cidade toda, aparelhos de ginástica nas praças, uma ponte ligando à Barra de Maricá, cinema, teatro aberto, pavimentação de rua e um hospital de referência Che Guevara!!! Fiquei pasma!!!! Parabéns ao PT representado pelo prefeito ( não sei o nome). É disso que estamos precisando!! Respeito e trabalho que favoreça a população!!!!

  6. Parabéns à Maricá e ao governo do PT que em 16 anos fez a cidade sair de patinho feio para uma cidade referência à projetos inovadores e desenvolvimentistas sem perder o foco no social! A cidade só cresce e fica casa vez mais bonita! Orgulho de morar aqui!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui