Secretária Laura Carneiro durante ação na Zona Oeste do Rio neste sábado (30) - Foto: Divulgação

Neste sábado (30), as comunidades do Coroado e Ilha dos Porcos, em Vargem Pequena, na Zona Oeste do Rio, que têm uma condição de extrema vulnerabilidade sociail, receberam o projeto ”Resenha Contra Covid-19”, da Secretaria Municipal de Assistência Social.

”Conversamos com os moradores e a equipe do Centro de Referência de Assistência Social Zumbi dos Palmares distribuiu kits com máscaras, álcool gel, além de folheto explicativo sobre os perigos do Coronavírus”, disse a secretária Laura Carneiro.

Vargem Pequena estava em 155º lugar entre os bairros do Rio com menor Índice de Desenvolvimento Social (IDS), segundo a coleção ”Estudos Cariocas: Comparando as Realidades Microurbanas da Cidade do Rio de Janeiro”, realizada com base no Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2000. O trabalho também contou com equipe da 7ª Coordenadoria de Assistência Social.Vale ressaltar que, em Vargem Pequena e na Cidade de Deus, também na Zona Oeste, foram treinadas 36 lideranças.

Marli de Oliveira, de 54 anos, mora há mais de 20 na Ilha dos Porcos. Teve Covid-19 e ficou sem comer, pois perdeu paladar e olfato. Agora, conscientiza o marido, que trabalha fora para manter os cuidados dentro de casa. Já Rosângela Pereira, de 63 anos, é moradora antiga do Coroado. Ela disse que usava máscara apenas para se proteger no transporte público, mas que agora vai usar sempre. 

O Resenha Contra Covid-19 tem como um dos principais alvos o combate às fake news sobre a doença, o que atrapalha sua prevenção. O projeto treina líderes comunitários para atuarem como porta-vozes da prevenção à doença junto às populações de favelas e periferias. Até o momento já alcançou 360 lideranças e quase 20 bairros do Rio.

A ideia é formar uma rede de solidariedade na prevenção ao coronavírus, por meio da mobilização de lideranças e coletivos que vão contribuir com a identificação de situações de extrema precariedade e aglomerados populacionais, capilarizar informações sobre a doença e articular a atuação de redes nessas comunidades.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui