Concordância Verbal – Parte 2

Concordância Verbal – Parte 2

24 de maio de 2016 0 Por Marcelo Moraes Caetano
Compartilhe

Concordância Verbal – Parte 2

 

Prezados Leitores do Diário do Rio:
Na coluna anterior, vimos os casos gerais das flexões necessárias de número e pessoa que o verbo em língua portuguesa deve obter. A elas, como foi mostrado, chamamos de “concordância verbal”.

A partir de hoje, veremos que há, contudo, casos chamados “especiais” de concordância, em que, por diversas razões, as flexões de número e pessoa se processam mediante circunstâncias especiais.

Dividirei esses casos especiais em 3 partes, sendo a primeira delas a que publico hoje.

Mais uma vez, remeto o Leitor ao [email protected] — Centro Filológico Clóvis Monteiro, da UERJ —, onde nossa equipe de consultores terá enorme prazer em tirar-lhe eventuais dúvidas relativas a este ou a outro assunto de língua, linguística, interpretação textual e filologia.

Abraços,
Marcelo Moraes Caetano

1) Núcleos ligados por OU e NEM.

A concordância se dará assim:
1.1) Plural: se o que vier expresso pelo verbo puder se aplicar a todos os sujeitos, indicando ideia de adição ou de alternância entre os nomes.

EXEMPLOS:
Ou você ou eu faremos isso.
“…um grito ou uma gargalhada forte a atravessavam.”(M. Lins)
Espero que você ou sua mãe me vejam.
“O céu ou o inferno sempre preocupam os que meditam…”
“Nem a monotonia nem o tédio a fariam capitular agora.” (C. dos Anjos)

1.2) Concordará com o mais próximo: se houver idéia de exclusão entre os núcleos do sujeito (alternativa), isto é, se apenas um deles puder exercer ação, o verbo concordará apenas com o mais próximo.

EXEMPLOS:
Você ou eu ficarei aqui
“Riobaldo ou eu defenderei Romão”(G. Rosa)
“Fui devagar, mas o pé ou o espelho traiu-me.”(M. de Assis)
“Nem tormenta nem tormento / nos poderia parar.” (C. Meireles)

OBSERVAÇÃO:
Julga-se que, pelas razões abaixo enumeradas, as expressões “UM OU OUTRO”, “NEM UM NEM OUTRO”, seguidas de substantivo, levam a proceder analogamente.

EXEMPLOS:
Um ou outro garoto sairão. (alternância ou adição)
Um ou outro garoto sairá. (exclusão)
Contudo, normativamente é mais aceita a flexão fixa do verbo no singular, regra que deve ser preferida sobretudo se as expressões em pauta não vierem seguidas de substantivos.

EXEMPLOS:
Nem um nem outro falou.
Um ou outro falou.
“Anteontem perguntou-me qual deles levaria; respondi-lhe que um ou outro lhe ficava bem.”(M. de Assis)
(Embora haja idéia de alternativa ou adição)

ATENÇÃO:
Mesmo sendo usadas sem substantivos, tais expressões podem aparecer no plural:

EXEMPLO:
“Nem um nem outro desejavam questionar.” (J. Paço d’Arcos)

2) EXPRESSÕES FRACIONÁRIAS:

O verbo concorda com o primeiro numeral.

EXEMPLOS:
Um terço da turma saiu mais cedo.
Três quartos do convento continuam dormindo.

3) EXPRESSÕES DE PORCENTAGEM:
O verbo concorda com o primeiro numeral, como ocorreu com o caso que acabamos de estudar.

EXEMPLOS:
1% saiu cedo.
3% permaneceram no local.

No entanto, caso haja especificador acompanhando a expressão de porcentagem, pode o verbo concordar com o primeiro numeral, ou, por atração, com o especificador:

EXEMPLOS:
1% da turma falou sobre o assunto.
1% dos alunos falou/falaram sobre o assunto.

4) MAIS DE, MENOS DE, PERTO DE, CERCA DE, OBRA DE seguidas de numeral:

O verbo concordará com o numeral

EXEMPLOS:
Mais de um aluno falou sobre o assunto.
Cerca de oito moças reclamaram da prova.
Falaram do assunto perto de cem rapazes.
“Ainda assim restavam cerca de cem viragos…” (J.Ribeiro, apud Cunha-Cintra)

OBSERVAÇÃO:
Havendo ideia de reciprocidade com a expressão MAIS DE, o plural será obrigatório:

EXEMPLO:
Mais de um componente cumprimentaram-se ao longo da festa.

5) PARTE DE, A MAIORIA DE, ou COLETIVOS seguidos de nome no plural:

O verbo fica no singular ou no plural:

EXEMPLOS:
Parte dos candidatos se mobilizou.
Parte dos candidatos se mobilizaram.

6) UM E OUTRO (seguido ou não de substantivo):

Verbo no singular ou plural

EXEMPLOS:
Um e outro (candidato) falou sobre a prova.
Um e outro (candidato) falaram sobre a prova.

OBSERVAÇÃO 1:
Havendo substantivo junto à expressão, deve estar sempre no singular:

EXEMPLOS:
“Mas uma e outra cousa duraram apenas rápido instante.” (A. Herculano)
“Um e outro jogo nos é odioso (…)” (A. de Quental)

OBSERVAÇÃO 2:
Se houver ideia de reciprocidade com a expressão UM E OUTRO, o plural torna-se obrigatório:

EXEMPLOS:
Um e outro cumprimentaram-se.

7) QUAL (QUEM/ALGUM) DE NÓS, QUAL (QUEM/ALGUM) DE VÓS, QUAL (QUEM/ALGUM) DE VOCÊS:

Quando o núcleo do sujeito for um pronome no singular, também ficará o verbo no singular:

EXEMPLOS:
Qual de nós fará o serviço?
Qual de vós fará o serviço?
Qual de vocês fará o serviço?

8) QUAIS (QUANTOS / MUITOS / ALGUNS) DE NÓS, QUAIS (QUANTOS / MUITOS / ALGUNS) DE VÓS, QUAIS (QUANTOS / MUITOS / ALGUNS) DE VOCÊS:

O verbo concorda com o pronome núcleo (3. pessoa do plural) ou com o pronome especificador (nós, vós, vocês):

EXEMPLOS:
Quais de nós faremos o serviço ou
Quais de nós farão o serviço?
Quantos de vós fareis o serviço? ou
Quantos de vós farão o serviço?

PhD em Língua Portuguesa pela UERJ. É professor adjunto de língua portuguesa e filologia românica da UERJ e author and content developer da California State University. Tradutor de inglês, francês, alemão, espanhol, italiano, latim e grego, pesquisador das filologias russa e mandarim. Escritor com mais de 40 livros publicados e premiados no Brasil e no mundo. Membro efetivo da Academia Brasileira de Filologia, do PEN Club Rio-Londres, da Académie des Arts, Sciences et Lettres de Paris e da Academía de Letras y Artes de Chile. Em 2011, recebeu a Comenda e a Médaille de Vermeil do Governo francês.


Compartilhe