Foto: Reprodução

Localizado no bairro da Gamboa, junto ao cais do Porto do Rio de Janeiro, e lançado ainda no fim dos anos 90, está o condomínio Moradas da Saúde, um projeto do arquiteto e urbanista grego Demetre Anastassakis, que se tornou, no início, algo atrativo e acessível às pessoas com menor renda, em muitos casos possibilitando que elas desfrutem do bem-estar de morar perto de seus locais de trabalho. Quando ficou pronto, a expressão “porto maravilha” ainda nem estava cunhada.

Com acesso por uma ruazinha estreita e bem residencial, o condomínio fechado conta com 150 apartamentos, de cinco tamanhos diferentes, construídos em cima do Morro da Saúde, que divide os bairros da Saúde e Gamboa. O empreendimento, que possui diversos blocos, alamedas e equipamentos de lazer, também se destaca por proporcionar segurança, conforto, amplo estacionamento e também pela sua área verde, assim como pela deslumbrante vista de que grande parte de suas unidades desfrutam, da baía de Guanabara.

O condomínio foi o primeiro empreendimento do plano de revitalização da região do Porto do Rio, seguindo o conceito urbanístico de ocupar os centros das cidades com moradias, para que as pessoas residam perto do trabalho. Ficou pronto muito antes da queda da Perimetral. Tornou-se acessível devido ao baixo custo de construção, sem que isso interferisse na qualidade do projeto. As unidades, que foram lançadas e vendidas nos anos 90 por menos de 70 mil reais, hoje custam em torno de R$ 400 mil, mas esse valor pode ser ainda mais elevado para apartamentos maiores. “Aqui na nossa filial do Porto Maravilha, temos lista de espera para comprar unidades no Moradas da Saúde”, disse ao DIÁRIO DO RIO o diretor regional da Sergio Castro Imóveis, Marcos Rocha.

A tradicional imobiliária abriu ainda em 2008 uma filial na Rua Sacadura Cabral, junto à Praça da Harmonia, num sobradinho de 1899. “Vendemos mais de dez unidades por ano no Moradas da Saúde, que é considerado um paraíso bucólico e silencioso dentro da agitada região central do Rio. E todos sabem que apartamento no Moradas é dinheiro em caixa. Fácil de vender e alugar. Sem contar que mesmo hoje durante a crise valem quatro vezes mais do que os primeiros que vendemos”, completa Rocha, que parece se orgulhar de trabalhar na única imobiliária do bairro.

Com a revitalização do Porto do Rio durante as Olimpíadas de 2016 o condomínio saiu ganhando ainda mais: tornou-se um privilegiado vizinho do Museu do Amanhã, do Museu de Arte do Rio, do AquaRio, além de ter ganhado uma estação do VLT, a Harmonia, praticamente na porta, e recentemente a Rio Star, uma da 20 maiores rodas-gigantes do mundo, nos fundos.

O empreendimento foi um projeto de Demetre Anastassakis, um fervoroso defensor da Arquitetura e Urbanismo de interesse social, que faleceu em julho de 2019, aos 71 anos de idade. Ele viveu no “Moradas da Saúde” até seu falecimento, mostrando que na casa de ferreiro, nem sempre o espeto é de pau.

5 COMENTÁRIOS

  1. As empresas que transportam minérios estão acabando com o nosso sossego, quando os navios chegam para serem carregados ninguém dorme, não tem hora para parar, são dias, eles dominam essa área. Socorro!

  2. Passo pelo Porto Maravilha e não consigo ver a baía. Passava pela Perimetral e me deleitava com o privilégio de trafegar com a baía de um lado e uma vista parcialmente aérea do Centro no lado oposto.

  3. Um condomínio bem bonito mesmo, fica em frente ao Aqua Rio e à Roda Gigante Rio Star. Tu consegue ver as casas amarelas de baixo. Realmente com aquele viaduto horrível da Perimetral abaixo (que possibilitou o carioca e turista verem novamente a Baía de Guanabara) e a revitalização do Porto e Boulevard Olímpico com VLT, Museus e atrativos turísticos valorizaram muito a área. Moradores privilegiados sim

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui