Confira 10 momentos marcantes da história do Maracanã

Nesta terça-feira, dia 16 de junho, o Maracanã, um dos estádios mais famosos e importantes do mundo, localizado na Zona Norte do Rio de Janeiro, comemora 70 anos de existência. Para celebrar a importantíssima data, o DIÁRIO DO RIO traz para você, entre jogos de futebol e eventos não desportivos, 10 momentos memoráveis da história do local. Confira.

10: Brasil 2 x 0 Uruguai – Eliminatórias para a Copa 1994

Romário driblando o goleiro do Uruguai para marcar o 2º gol do Brasil na partida – Foto: Reprodução/Internet

Para começar em grande estilo e falando de futebol – que, afinal de contas, é o principal carro-chefe do Maracanã -, lembramos da inesquecível vitória da seleção brasileira por 2 a 0 contra o Uruguai no último jogo das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 1994. A partida foi realizada no dia 19 de setembro de 1993 e, com 2 gols de Romário, é considerada por muitos como a atuação mais marcante da carreira do histórico atacante. O detalhe é que, até aquele momento, o Baixinho ainda não havia jogado pela Seleção na competição, devido a problemas com a então comissão técnica liderada por Carlos Alberto Parreira. Mas, para esse jogo, o treinador se viu quase que ”obrigado” a convocar Romário. E parece que deu certo, né, afinal de contas o Brasil conquistou a classificação para a Copa e o resto é história.

9: Missas do Papa João Paulo II, em 1980 e 1997

Missa do papa João Paulo II no Maracanã em 1980 – Foto: Reprodução/Internet

Por duas vezes, o Maracanã recebeu missas campais do papa polonês Karol Wojtyla, mais conhecido como João Paulo II e considerado um dos mais carismáticos da história. Ele esteve no estádio em 1980, na primeira visita de um papa ao Brasil, e em 1997, quando veio participar do II Encontro Mundial do Papa com as Famílias. Em ambas as celebrações, o Maracanã ficou lotado para as receber as bençãos de João Paulo II. A vinda do pontífice, inclusive, é homenageada por pela torcida do Fluminense, que costuma cantar ”A benção, João de Deus, nosso povo te abraça” quando o time está passando por alguma dificuldade durante as partidas.

8: Brasil 3 x 1 União Soviética – O Grande Desafio de Vôlei (1983)

Jogo de vôlei entre Brasil e URSS no Maracanã, em 1983 – Foto: Almir Veiga/CPDOC JB

Que o Maracanã é um local para futebol, todo mundo sabe. Para outros esportes, como basquete e voleibol, existe o ginásio do Maracanãzinho, anexo ao estádio. No dia 26 de julho de 1983, porém, os 2 se ”mesclaram”. Isso porque foi realizado no Maracanã o evento conhecido como ”O Grande Desafio de Vôlei’‘, disputado entre as seleções do Brasil e da hoje extinta União Soviética. Com placar de 3 a 1 para o time canarinho, a disputa teve uma quadra montada com material sintético dentro do gramado do estádio e é até hoje a partida relacionada a um esporte olímpico – tirando o futebol – com maior quantidade de público, seja a céu aberto ou no interior de ginásios poliesportivos. Ao todo, 95.887 pagantes estiveram no Maracanã na ocasião para assistir ao jogo. O curioso é que a partida, por ser a céu aberto, foi disputada sob uma forte chuva que caía no Rio de Janeiro naquele dia, o que contribuiu ainda mais para se tornar inesquecível na memória de quem gosta de vôlei e do estádio.

7: 2ª edição do Rock in Rio, em 1991

Rock in Rio no Maracanã, em 1991 – Foto: Reprodução/Internet

Quem nasceu nos anos 90 ou 2000 e vê hoje o Parque Olímpico, na Barra da Tijuca, recebendo brilhantemente o Rock in Rio, talvez nem imagine que o megaevento já foi realizado no Maracanã. Na 2ª edição de sua história, ocorrida entre os dias 18 e 26 de janeiro de 1991, o estádio foi a casa do rock na cidade. Naquela oportunidade, passaram pelo festival nomes consagrados como Guns N’ Roses, A-ha, George Michael, Megadeth, Billy Idol, Judas Priest e Faith No More. Vale destacar que foi a única edição do evento realizada fora da Cidade do Rock. Nos dias atuais, devido à gigantesca proporção que o Rock in Rio ganhou, é inimaginável pensar que pudesse ser realizado novamente no Maracanã, mesmo o estádio sendo grande.

6: Além do Rock in Rio, outros shows históricos

Frank Sinatra durante apresentação histórica no Maracanã, em 1980 – Foto: Reprodução/Internet

E se o Rock in Rio reuniu em um só evento grandes nomes da música mundial, o Maracanã também já recebeu, de maneira ”individual”, diversas outras apresentações de artistas consagrados. A mais emblemática delas, possivelmente, seja a de Frank Sinatra, no dia 27 de janeiro de 1980. Esse inesquecível concerto, realizado para um público de cerca de 170 mil pessoas, contou com uma orquestra formada por mais de 40 músicos e abriu as portas para shows desse porte no estádio. Depois disso, passaram por lá importantes nomes internacionais como Paul McCartney (1980), Kiss (1983), Tina Turner (1988), Madonna (1993), Backstreet Boys (2001) e The Rolling Stones (2016), entre diversos outros. Em relação à música nacional, já se apresentaram no Maracanã Xuxa Meneghel (1989), Sandy & Junior (2002), Ivete Sangalo (2006) e Los Hermanos (2019). Além deles, o ”rei” Roberto Carlos celebrou 50 anos de carreira em show histórico no Maracanã, em 2009.

5: Fluminense 1 (1) x (4) 1 Corinthians – A ”invasão corinthiana’, em 1976

Torcida do Corinthians na invasão ao Maracanã, em 1976 – Foto: Reprodução/Internet

Embora seja um estádio carioca, um dos maiores acontecimentos da história do Maracanã teve como pivô um time de São Paulo. Em 5 de dezembro de 1976, o estádio recebeu o confronto entre Fluminense x Corinthians, válido pela semifinal do Campeonato Brasileiro do referido ano. Por se tratar de um jogo único e como forma de reação a uma provocação do então presidente tricolor Francisco Horta, mais de mil ônibus com torcedores da equipe paulistana vieram para o Rio de Janeiro – obrigando, inclusive, o Detran a criar uma operação especial para o tráfego na Rodovia Presidente Dutra, que liga os 2 estados. No Maracanã, foram cerca de 70 mil torcedores alvinegros, que viram o time empatar em 1 a 1 durante o tempo normal e vencerem a disputa de pênaltis por 4 a 1. A inesquecível ocasião ficou conhecida como ”invasão corinthiana”.

4: Alemanha 1 x 0 Argentina – Final da Copa do Mundo 2014

Comemoração de Mario Gotze e Thomas Muller no gol que deu à Alemanha o título mundial de 2014 – Foto: Reprodução/Internet

Mais para frente falaremos de outra final de Copa do Mundo realizada no Maracanã, mas essa, a mais recente, ocorrida em 13 de julho de 2014, marcou a maior possibilidade até hoje de um título da competição para o craque argentino Lionel Messi contra a entrega, disciplina tática e futebol objetivo da geração alemã de Manuel Neuer, Philipp Lahm, Toni Kroos e Thomas Müller. Com gol de Götze no segundo tempo da prorrogação, a Alemanha venceu por 1 a 0 e se sagrou tetra campeã mundial. Se ficou um gosto bastante amargo para o camisa 10 da Argentina, o título foi muito celebrado pelos germânicos, que no jogo anterior, nas semifinais, haviam eliminado o Brasil no fatídico e inesquecível 7 a 1, no Mineirão, em Belo Horizonte. E justamente pelo fato de não ter havido a presença da seleção brasileira que essa final ocupa ”apenas” a 4ª colocação.

3: Brasil 1 (5) x (4) 1 Alemanha – Final do futebol masculino nas Olimpíadas 2016

Rio de Janeiro – Brasil vence Alemanha e conquista primeiro ouro olímpico do futebol (Fernando Frazão/Agência Brasil)

Em 2016, os Jogos Olímpicos foram realizados no Rio de Janeiro. Até então, a seleção brasileira de futebol masculino nunca havia sido campeã de sua modalidade na competição. Depois de bater na trave nas Olimpíadas anteriores, em Londres, em 2012, ao ficar com a medalha de prata após perder para o México, a final contra a Alemanha no dia 20 de agosto de 2016, no Maracanã, seria a oportunidade perfeita para uma redenção. E em todos os sentidos, já que, 2 anos antes, na Copa do Mundo de 2014, o Brasil sofreu o histórico 7 a 1 para os germânicos – que citamos no tópico anterior. E mesmo que não tenha ocorrido uma goleada para lavar a alma, a ”vingança” veio. Após 1 a 1 no tempo normal e prorrogação, a decisão foi para os pênaltis e o time canarinho acabou vencendo por 5 a 4, com Neymar convertendo a última cobrança. Além de ser um título de muita importância para o esporte olímpico, foi um ouro inédito para o país, certamente inesquecível na história da Seleção e do Maracanã.

2: Vasco 1 x 2 Santos, em 1969 – Milésimo gol de Pelé

Pelé saindo carregado por jornalistas após fazer seu gol de número mil – Foto: O Globo

No dia 19 de novembro de 1969, então com 29 anos de idade, Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, considerado o rei do futebol, protagonizou um dos momentos mais marcantes da história do esporte. E quis o destino que ele acontecesse justamente no Maracanã. Aos 34 minutos do segundo tempo da partida entre Vasco e Santos, válida pela Taça Roberto Gomes Pedrosa, Pelé marcou seu milésimo gol na carreira, num pênalti sofrido por ele mesmo. Quebrando todos os protocolos, Pelé foi carregado nos ombros por pessoas presentes no gramado do Maracanã e ovacionado por todos. O momento se tornou um grande marco e ficou eternizado na memória afetiva dos amantes do futebol em todo o mundo.

1: Brasil 1 x 2 Uruguai – Final da Copa do Mundo de 1950 (Maracanazo)

Momento do gol que deu o título mundial ao Uruguai em 1950, no Maracanã – Foto: Reprodução/Internet

Se começamos a matéria com um Brasil x Uruguai positivo para o escrete canarinho, certamente este é o jogo com sabor mais amargo na história da Seleção no Maracanã. Em 16 de julho de 1950, pela final da Copa do Mundo do referido ano, a seleção brasileira perdeu por 2 a 1 para a Celeste Olímpica, ficando com o vice da competição. Com um Maracanã – que havia sido construído justamente para a disputa do torneio – tomado por torcedores brasileiros, esta partida, por mais que seja dolorosa, não poderia deixar de estar na primeira colocação do ranking. O jogo recebeu o nome de ”Maracanazzo” e há quem diga que se fosse repetido mais 10 vezes, jamais o resultado aconteceria novamente. O Brasil, repleto de craques como Danilo Alvim, Zizinho, Jair Rosa Pinto, Friaça e Ademir Menezes, viu seu histórico (e ótimo) goleiro Barbosa cometer uma falha a qual não estava acostumado, em chute de Ghiggia, e o título acabar ficando com o Uruguai. Por todos os contextos envolvidos, como a superioridade técnica da seleção brasileira e o fato de estar jogando em casa, é considerada com uma das maiores ”zebras” do futebol. E está gravada eternamente na história do Maracanã.

Advertisement

2 COMENTÁRIOS

  1. Falha gravíssima não ter citado Brasil X Paraguai em 1969 pelas eliminatórias pra Copa de 70. Recorde mundial de público. Eu estava lá.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui