Geral

Conselho Municipal de Turismo debate políticas públicas para incentivar o setor

Compartilhar

Na manhã desta quinta-feira (27/01), aconteceu a primeira reunião do Conselho Municipal de Turismo (Contur), no Palácio da Cidade, sede do governo municipal. Recriado em dezembro, o conselho debateu, neste primeiro encontro, a importância das políticas públicas para incentivar o setor na cidade do Rio de Janeiro.

O turismo é uma atividade econômica fundamental para a cidade do Rio, vivemos um período de muita crise econômica somada a essa pandemia e os impactos que ela gera na cidade. Vivemos um excepcional momento do turismo, o Réveillon com 100% de taxa de ocupação, o Verão com 75%, 80%, que é um número fantástico. Então, vamos tratando de temas como a melhora da ordem, manutenção e segurança das áreas mais turísticas“, afirmou o prefeito do Rio Eduardo Paes, que participou da reunião..

Remodelado de forma mais enxuta pela Secretaria de Turismo (Setur), o conselho, que antes era composto por 38 integrantes, agora conta com 30, entre órgãos, entidades e instituições dos setores público e privado. A redução pretende dar mais celeridade à construção de políticas públicas voltadas ao turismo, com os objetivos de promoção e incentivo ao setor como fator de desenvolvimento social e econômico, atividade estratégica na geração de empregos, renda e inclusão social na cidade do Rio de Janeiro.

O turismo é uma atividade muito transversal. Este novo conselho conta com a parceria de diversos órgãos, públicos e privados, para que deixemos a cidade mais preparada, organizada e segura para os nossos visitantes. A recriação do Contur é muito importante porque permite a reunião dos principais atores do setor turístico e o diálogo em prol de diagnosticar e resolver, em conjunto, nossos desafios e gargalos“, declarou o secretário de Turismo, Bruno Kazuhiro.

Na reunião desta quinta-feira, vários temas foram debatidos como o carnaval, o réveillon e a concessão do Aeroporto Santos Dumont. O Secretário de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Simplificação, Chicão Bulhões, explicou que é a favor da realização de concessões, mas é necessário zelar para que a capital fluminense não sofra prejuízos que, além do setor econômico, vão impactar diretamente no turismo.

Primeiro recado importante é o seguinte: a Prefeitura do Rio não é contrária a concessões. Na verdade, é contrária ao modelo que foi proposto, que aprofunda um problema, das normas, da regulação, que não é um problema de hoje. Mas, no momento em que você faz um novo contrato com o setor privado para explorar essa concessão no aeroporto, você tem um potencial imenso de aprofundar esse problema. Esse problema, basicamente, esvazia voos regionais do aeroporto do Galeão“, explicou Chicão Bulhões.

A Prefeitura do Rio ainda aguarda a resposta de um ofício enviado ao Ministério da Infraestrutura na última segunda-feira (24/01) notificando o interesse do município de participar do Grupo de Trabalho temporário montado para debater o modelo de concessão do aeroporto Santos Dumont, no centro da cidade e o impacto no aeroporto do Galeão, na Zona Norte da Capital Fluminense.

Larissa Ventura

Jornalista, radialista e produtora de conteúdo, apaixonada por cultura, turismo e pelo Rio