(Foto: Fernando Poubel)

Responsável por boa parte das linhas de ônibus que circulam na Zona Oeste, o consórcio Santa Cruz é mais uma empresa do setor a entrar com pedido de recuperação judicial.

Este é o segundo dos quatro grupos de empresas de ônibus do Rio a aderir ao recurso em menos de duas semanas. No dia 3 de setembro, a Intersul também solicitou entrou em recuperação judicial para evitar a suspensão das atividades.

O porta-voz do Rio Ônibus, sindicato que representa as empresas, Paulo Valente, ressalta que o grupo Santa Cruz é afetado principalmente pela circulação de transportes alternativos irregulares na região.

Segundo dados da Rio Ônibus, o consórcio Santa Cruz é responsável pelo transporte de 19% de todo o volume de passageiros de ônibus da cidade.

Este é o segundo dos quatro grupos de empresas de ônibus do Rio a aderir ao recurso em menos de duas semanas. No dia 3 de setembro, a Intersul também solicitou entrou em recuperação judicial para evitar a suspensão das atividades.

Outra empresa que teve pedido aceito pela 5ª Vara Empresarial do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro foi a Novacap.

A empresa liga bairros do subúrbio na Zona Norte. No pedido, a companhia alega que enfrenta bloqueios judiciais e descontos na receita com o vale transporte. O endividamento está na ordem em R$ 11 milhões.

A Novacap alega que a operação é deficitária por conta do congelamento das tarifas e pela falta de subsídios para compensar as gratuidades oferecidas no transporte coletivo.

Desde março de 2020, as empresas de ônibus do Rio somam prejuízo de R$1 bilhão e 900 milhões. Ao todo, 16 consórcios já encerraram as atividades neste ano. No período, 21 mil profissionais rodoviários ficaram desempregados.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui