Prédio onde as salas estão disponíveis - Foto: Divulgação

O Grupo Teruszkin está alugando suas salas comerciais com carência de até 4 anos em um prédio na Barra da Tijuca. A situação dos escritórios da Barra da Tijuca parece estar tão periclitante que há inúmeros proprietários oferecendo seus imóveis sem cobrar nada de aluguel, apenas para se livrar do pagamento dos condomínios e IPTU.  

Em contato com o DIÁRIO DO RIO, o Grupo informou que as salas têm infraestrutura completa (salas de reunião, auditórios, academia entre outros benefícios). A construtora, que está com o lindo edifício praticamente vazio, estava dando 30 meses de carência, segundo informações do mercado, mas não logrou êxito em alugar as salas. Assim, decidiu aumentar o bônus para nada menos que 4 anos, e está anunciando nas redes sociais a promoção, que vale até o fim do ano.

O espaço fica no Centro Metropolitano, na Avenida Embaixador Abelardo Bueno, 600, próximo ao Shopping Metropolitano. Os empreendimentos de escritórios na área se tornaram um grande deserto. Praticamente tudo está vazio, contrastando com os empreendimentos residenciais, que parecem estar indo bem, segundo analistas. São placas de aluga-se em toda a parte, inclusive nas lojas dos empreendimentos de escritórios. O cenário deprimente ocorre também no próprio Shopping Metropolitano.

 

De acordo com Claudio Castro, diretor da Sérgio Castro Imóveis, esta “promoção” mostraria o grave problema pelo qual passa o mercado de escritórios, para venda ou aluguel na cidade, principalmente na Barra da Tijuca.

 

“Quatro anos de carência é algo que não se vê no mercado imobiliário. A situação de vacância de salas na Barra, sabemos, é a pior da história, e muito superior à vacância de salas no Centro, que também é grande. Esta oferta mostra o nível de prejuízo que os grandes proprietários estão a ter com seus espaços vazios. E a Teruszkin sai na frente com esta que é a mais arrojada promoção de aluguel comercial que já vi. Se não alugar assim, não aluga de jeito nenhum, pois o prédio é de ponta”, afirma Castro.

 

Contudo, o mesmo não ocorre com os imóveis residenciais da região, conforme explica André Toledo, da Block Imóveis.

 

“No período que antecedeu a Copa do Mundo de 2014 e depois as Olimpíadas, em 2016, incharam a região da Aberlado Bueno com salas comerciais. Existem muitos prédios comerciais, lindíssimos, com escritórios fechados na região. Nós aqui da Block Imóveis, temos muitas salas ali e alugamos só pelo valor do condomínio, para não ficar fechada, mas mesmo assim é difícil. Esse prédio da Teruszkin  é um desses casos. Já com os imóveis residenciais daquela área, a situação é outra. Esses foram muito bem. A maioria está ocupada e sempre tem procura, saindo rápido. Já os comerciais estão praticamente sendo emprestados”, destaca Toledo.

Segundo os especialistas que consultamos, a área do chamado “Centro Metropolitano” é um dos maiores micos da história do mercado imobiliário carioca, com quase o dobro da taxa de vacância do Centro da Cidade, onde os prédios mais modernos tem sido comercializados sem grande dificuldade, enquanto os prédios mais antigos sofrem mais. Porém, já começa a se tornar realidade a transformação de alguns deles em residências, o que é citado pelos experts como um grande avanço.



Toda manhã o resumo do Rio de Janeiro

5 COMENTÁRIOS

  1. Quanta gente falando besteira e fugindo totalmente do assunto.
    Esses emprendimentos foram criados na expectativa de que com a copa e as olimpiadas o local viesse a ser a Nova Barra, porém logo depois começou a crise causada pela prefeitura e estado com toda a roubalheira envolvendo governador, prefeito e as construtoras.

  2. Desculpe, mas esse comentário foi totalmente sem noção!
    Basta ver o que aconteceu nos prédios do Minha casa minha vida e outros mais, que os moradores ficam devendo luz, pois acham que não são obrigados a pagar a luz do condomínio e dos prédios, somente o consumo a casa. E manutenção do local eelevadores? Falar é fácil, fora a favelização do local, que está em França expansão na cidade.

  3. O grande problema atualmente é o estrondoso valor dos condomínios.
    Esta questão vem dificultando demasiadamente a vida dos proprietários de imóveis em Condomínios.
    O despreparo dos síndicos, profissionais ou não, que para lhe dar com as despesas dos Condomínios, com o absurdo número de empregados, simplesmente aumentando a taxa, está arruinando a vida dos cidadãos e causando esta enorme dificuldade em se alugar ou até mesmo vender um imóvel.

  4. Tinham que expropriar o prédio e convertê-lo em habitação para sem tetos, como ainda para receber quem fosse transferido das favelas, em política pública com novo olhar para a questão da habitação.

    • Isso, faça exatamente dessa forma, deixe um exemplo gritante para outros que tentarem empreender na cidade e afugente todos os empresários e empresas de se instalarem aqui com receio desse mesmo episódio acontecer com o empreendimento que eles planejaram, veja os empregos, o poder de consumo e o decaimento do poder publico juntamente com a deterioração da cidade e da população acontecer (gerando mais sem teto e favelas) de forma veloz e se pergunte o que deu errado.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui