Governador Cláudio Castro assinando concessão dos blocos 1 e 4 do leilão da Cedae à Águas do Rio - Foto: Reprodução/Governo do RJ

O Governo do Rio de Janeiro e a concessionária Águas do Rio, pertencente ao grupo Aegea e responsável por arrematar os blocos 1 e 4 do leilão da Companhia Estadual de Águas e Esgoto fluminense (Cedae), realizado em abril na Bolsa de Valores de São Paulo, assinaram nesta quarta-feira (11/08) o contrato de concessão para a realização do serviço de saneamento público por parte da companhia.

Vale lembrar que, na ocasião, dos 4 blocos ofertados pelo Poder Executivo do RJ, 3 foram leiloados, arrecadando R$ 22,6 bilhões aos cofres públicos do estado.

A Águas do Rio arrematou o Bloco 1, que abrange 18 bairros da Zona Sul da capital e 18 municípios do estado, por R$ 8,2 bilhões. Já o Bloco 4 foi adquirido por R$ 7,2 bilhões e conta com 106 bairros do Centro e da Zona Norte do Rio, além de 8 cidades da Baixada Fluminense.

O contrato entre as partes prevê 35 anos de concessão. A Águas do Rio promete um investimento total de R$ 24,4 bilhões nos 2 blocos arrematados, sendo R$ 7,2 bilhões nos primeiros 5 anos.

A expectativa é que o trabalho da Águas do Rio ocasione a contratação de aproximadamente 6 mil profissionais diretos, sendo 3 mil deles vindos de comunidades. Há, inclusive, a previsão de uma parceria com a Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec) para a formação de mão-de-obra.

Agora, com a oficialização da concessão, a empresa dará início a um período de operação assistida que deve durar cerca de 6 meses. O prazo, porém, pode ser antecipado pelo Governo do Estado. Até o período de experiência terminar, a coleta e o tratamento da água seguirão sendo realizados pela Cedae. A concessionária passa a cuidar do fornecimento de água, bem como da coleta e tratamento de esgoto, após o período de experiência.

Outro ponto importante é que a Águas do Rio promete investir, já nos 5 primeiros anos de contrato, aproximadamente R$ 2,7 bilhões para recuperar a Baía de Guanabara. A empresa deseja revitalizar as estações de tratamento de esgoto e construir um sistema de coleta de esgoto ao redor da baía, formando um ”cinturão” de proteção.

”Acontecerá uma visível evolução na Baía de Guanabara nos primeiros 5 anos, evoluindo até os 12 anos. Teremos essa joia de volta”, afirmou o presidente da Águas do Rio, Alexandre Bianchini.

Já o governador Cláudio Castro garantiu que não serão medidos esforços para a revitalização da baía. ”Nós iremos despoluir a Baía de Guanabara. Se tivermos que colocar mais recursos, colocaremos. Assim como a Bacia do Guandu. Se tivermos que sentar, nós sentaremos”, ressaltou.

Confira o detalhamento dos blocos 1 e 4 do leilão da Cedae à Águas do Rio

Bloco 1

  • Aperibé
  • Cachoeiras de Macacu
  • Cambuci
  • Cantagalo
  • Cordeiro
  • Casimiro de Abreu
  • Duas Barras
  • Itaboraí
  • Itaocara
  • Magé
  • Maricá
  • Miracema
  • Rio Bonito
  • Saquarema (3º distrito)
  • São Francisco de Itabapoana
  • São Gonçalo
  • São Sebastião do Alto
  • Tanguá
  • Zona Sul do Rio

Bloco 4

  • Belford Roxo
  • Duque de Caxias
  • Japeri
  • Mesquita
  • Nilópolis
  • Nova Iguaçu
  • Queimados
  • São João de Meriti
  • Centro e Zona do Rio

1 COMENTÁRIO

  1. Aproveita e vende o resto da CEDAE, Claudio Castro! Especialmente a produção de água: a jóia do setor – ou então continuaremos bebendo água podre que só a CEDAE sabe produzir.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui